Magistério das escolas estaduais e municipais paralisa atividades dias 02 e 03

Escrito por Super User Ligado .

Os professores e professoras das escolas municipais e estaduais decidiram, em assembleia unificada paralisação 2 e 3 outubro2realizada nesta quinta (26), paralisar as atividades nos dias 02 e 03 outubro. Na agenda de luta estão marcados atos em frente a Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (dia 02) às 8h e no Palácio de Despachos (dia 03) às 14h.

“Estaremos na porta da SEDUC e do Palácio de Despachos para cobrar do governo respeito ao magistério e que se pague o piso na carreira. E discuta com a categoria qual é a política pedagógica proposta para o Estado”, disse a presidenta do SINTESE, Ivonete Cruz.

Os professores e professoras sergipanos se engajam na luta nacional contra os cortes na Educação promovidos pelo governo federal, e a reforma da previdência.

No caso do magistério da rede estadual a luta também é em defesa do reajuste do piso na carreira e na denúncia de que a crise financeira alardeada pelo governo estadual é fake. Por isso, os atos “A Crise em Sergipe é Fake” que tem percorrido municípios de norte a sul do estado também serão realizados nas feiras livres de Aracaju.

Projetos na Assembleia Legislativa

Também causam preocupação ao magistério, a chegada dos projetos de lei na Assembleia Legislativa. O primeiro cria o Sistema de Avaliação da Educação Básica de Sergipe – SAESE e o segundo implanta o “Programa Alfabetização pra Valer”.

Nenhum dos projetos foi debatido anteriormente com o SINTESE e com isso, mais uma vez o Governo e a SEDUC desconsideram o representante legítimo dos professores e professoras da rede estadual e de 74 das 75 redes municipais sergipanas.

O SINTESE reafirma que tanto a avaliação do sistema de educação básica quanto a alfabetização são importantes e necessárias para a garantia da Educação, mas o sindicato volta a criticar o método utilizado pela SEDUC para implantar políticas educacionais. Sem qualquer diálogo com aqueles que estão no chão da escola e com ênfase no caráter privatista, excludente, que tem como foco a premiação e não a busca coletiva da resolução dos problemas diagnosticados.

LEIA AQUI A ANÁLISE COMPLETA FEITA PELO SINTESE