Imprimir

Rede estadual: professores decidem manter paralisação e ato em frente à SEED

Escrito por Caroline Santos Ligado . Publicado em Avaliação de desempenho

Os professores da rede estadual decidiram em assembleia realizada na manhã desta terça-feira, 06, que vão manter a paralisação no dia 07 e a realização de ato público em frente ao prédio da Secretaria de Estado da Educação – SEED a partir das oito da manhã. O ato de será considerando um dia de mobilização e de luta por um processo democrático de avaliação da Educação da rede estadual.

Eles decidiram pela manutenção da paralisação e do ato público porque a SEED, apesar de ter adiado a realização do “ Dia D de Avaliação” não cumpriu na totalidade com que foi acordado na audiência ocorrida na última quarta-feira, dia 30.

Na audiência, a secretária de Educação em exercício, Hortência Araújo garantiu a direção do SINTESE que revogaria totalmente as portarias nº 3416/2012 (regulamenta o Compromisso de Gestão) e nº 1802/2014 (trata da criação da comissão organizadora para Dia D) e faria a supressão do inciso II do art 3º da portaria 1775/2014 (institui o Dia D de Avaliação).

No Diário Oficial de Sergipe publicado nesta terça, há somente a revogação da portaria nº 1802/2014 e a substituição de expressões na portaria nº 1775/2014 e nessa última os professores avaliaram na assembleia que a essência do texto da portaria continua idêntica.

Já portaria 3416/2012 que regulamenta a adoção do Compromisso de Gestão nas escolas da rede estadual não foi revogada. Para os professores isso quer dizer que, mesmo com a suspensão do Dia D de Avaliação de Desempenho, as suas características continuam as mesmas, pois todo o evento foi balizado no Compromisso de Gestão, que nada mais é do que o pilar de sustentação do Índice Guia de Avaliação de Desempenho.

“Mantemos nossa paralisação e ato público porque entendemos que a Secretaria de Estado da Educação ao não revogar a portaria 3416/2012 manteve a sua política de continuar com a adoção do Compromisso de Gestão no processo de avaliação e mantê-lo significa ratificar a concordância com todos os parâmetros apresentados pelo Índice Guia de Avaliação de Desempenho. E os professores não aceitam ser avaliados dessa forma”, aponta a presidenta do SINTESE, Ângela Maria de Melo.

Vitória da luta e da resistência

Os educadores avaliaram que a suspensão do Dia D de Avaliação foi uma grande vitória da luta e da resistência da categoria. Desde que a data do evento foi divulgada, membros da direção do SINTESE e militantes têm percorrido escolas da capital e do interior, levando ao conhecimento dos docentes da rede estadual quais os documentos que balizaram o Dia D de Avaliação. Em todas as escolas a decisão foi unânime de não concordar com essa forma de avaliação.

É preciso que haja outra metodologia de avaliação educacional, pautada na participação efetiva de todos os atores sociais da comunidade escolar (pais, mães, responsáveis, estudantes, funcionários, equipe diretiva, secretaria de Educação e professores).

O SINTESE defende uma avaliação educacional que diagnostica e aponta os caminhos para a superação dos problemas com vistas à construção de uma educação pública de qualidade social para todos e todas.