Professores discutem divulgação do projeto A Educação que Queremos

Publicado em A escola democrática e popular

Neste último final de semana (11, 12 e 13) membros da direção, coordenadores das sub-sedes, representantes sindicais e professores da base participaram de encontro para discutir ações para que o projeto A Educação que Queremos, que foi aprovado no XIV Congresso, seja um instrumento utilizado na proposição e construção de projetos educacionais nas redes municipais e também na rede estadual.

Para isso se faz necessário a criação projetos de leis que regulamentem os sistemas de ensino e também a gestão democrática tanto nas redes municipais quanto estadual, para isso foram feitos estudos de projetos de lei já construídos e utilizando os princípios elencados no projeto "A Educação que Queremos".

Para iniciar o processo o professor doutor André Martins, da Universidade Federal de Juiz de Fora, que foi o coordenador do grupo de trabalho, fez um resgate histórico do processo de criação das estruturas e dos sistemas educacionais. "O SINTESE sai na frente por já ter suas concepções de educação sistematizada, mas o verdadeiro desafio é transformar o projeto de escola democrática e popular como referência para a instituição dos sistemas municipais e estadual de educação", aponta Martins.

Cartilha

O segundo momento do encontro foi a construção e uma cartilha que traga de forma mais objetiva quais as concepções do projeto "A Educação que Queremos".

Para isso além dos educadores que participaram do grupo de trabalho, os membros da direção do SINTESE e dos coordenadores de sub-sede outro grupo de professores foi convidado para a elaboração do documento.

"Nosso objetivo é fazer com o que o maior número de professores tenha conhecimento do projeto e para isso estamos montando estratégias para facilitar a compreensão do que foi aprovado no XIV Congresso", aponta Ivonete Cruz, diretora do Departamento de Formação do SINTESE.

Ações para divulgação

Foram também definidas estratégias e ações para ampliar o conhecimento dos professores, alunos e da sociedade com relação ao projeto. Além do lançamento que ocorrerá no dia 30 de janeiro às 19h na Sociedade Semear, o SINTESE pretende realizar reuniões com a imprensa, associações de bairro, conselhos municipais de Educação, faculdades, universidades entre outros.