Imprimir

SEED torna invisível estudantes que passaram no vestibular por não pertencerem a Colégios de tempo integral

Escrito por Luana Capistrano Ligado . Publicado em Rede Estadual

Nenhuma faixa, nenhum telefonema, nenhuma visita ao colégio. Esta é a invisibilidade que a SecretariaEstudantes do Colégio Estadual Dr. Milton Dortas, em Simão Dias, aprovados no vestibular. Lá 30 estudantes foram aprovados em instituições públicas federaisEstudantes do Colégio Estadual Dr. Milton Dortas, em Simão Dias, aprovados no vestibular. Lá 30 estudantes foram aprovados em instituições públicas federais de Estado da Educação (SEED) dá a estudantes da rede estadual de ensino que passaram no vestibular, mesmo em cursos considerados de prestígio como medicina, mas não estão matriculados em escolas de ensino médio em tempo integral.

Para tentar convencer a opinião pública dos benefícios de seu modelo de ensino médio em tempo integral, por meio da implantação dos Centros Experimentais de Ensino Médio, a Secretaria de Estado da Educação tem dado ênfase e comemorado nos meios de comunicação a aprovação no vestibular dos estudantes, que concluíram o ensino médio em colégios da Rede que atualmente oferecem o ensino médio em tempo integral, a exemplo do Colégio Estadual Atheneu Sergipense, Centro Experimental Ministro Marco Maciel e Vitória do Santa Maria, todos localizados em Aracaju.

Os demais estudantes da rede estadual de ensino, aprovado no vestibular e que não estudam em escolas de ensino médio em tempo integral, não receberam da SEED sequer uma nota no site da própria Secretaria os parabenizando pelas suas conquistas.  

Falta de reconhecimento

Mesmo com todas as dificuldades: em salas de aulas quentes, sem alimentação escolar, com ausência de material didático e parcos recursos, o Colégio Estadual Governador Valadares, localizado no bairro 18 do Forte, em Aracaju, aprovou cerca de 20 estudantes no vestibular, sendo que cinco deles para cursos da Universidade Federal de Sergipe (UFS).

Entre os aprovados está João Matheus Santos de Oliveira, estudantes do Valadares desde o 7º ano do ensino fundamental, aprovado em Medicina, na Universidade Federal de Sergipe. Para ele a sua vitória é fruto de seu esforço, do apoio de sua família e do grupo de professores e professoras do Colégio Estadual Governador Valadares que sempre o incentivaram. João Matheus lamenta apenas não ter o reconhecimento da Secretaria de Estado da Educação (SEED) pelo seu feito.

“O resultado oficial do vestibular da UFS saiu no dia 30 de janeiro, e até agora a Secretaria de Educação não entrou em contato com nenhum aluno do Valadares para nos parabenizar pela nossa conquista”, lamenta o futuro médico.

Além de João Mateus, os estudantes do mesmo Colégio, Davi Sales e Kelvin Bispo Santos, passaram também na Universidade Federal de Sergipe, nos cursos de Engenharia de Produção e Engenharia Mecânica, respectivamente.

No Interior do estado uma única escola aprova 30 e ninguém sabe

No Colégio Estadual Dr. Milton Dortas, em Simão Dias, trinta estudantes foram aprovados no concursoEstudantes do Colégio Estadual Governador Valadares, em Aracaju. Da esquerda para a direita: João Matheus (aprovado em Medicina – UFS), Davi Sales (aprovado em Engenharia de Produção – UFS) e Kelvyn Bispo (aprovado em Engenharia Mecânica – UFS)Estudantes do Colégio Estadual Governador Valadares, em Aracaju. Da esquerda para a direita: João Matheus (aprovado em Medicina – UFS), Davi Sales (aprovado em Engenharia de Produção – UFS) e Kelvyn Bispo (aprovado em Engenharia Mecânica – UFS) vestibular da Universidade Federal de Sergipe (UFS), do Instituo Federal de Sergipe (IFS) e até da Pontifícia Católica de Minas Gerais (PUC-MG).

A estudante Talita Santana, que está finalizando o 3º ano do ensino médio, no turno da tarde, no Milton Dortas, passou em 1º lugar no curso de Engenheira Química da UFS e também teve aprovação no mesmo curso na PUC de Minas Gerais. Mesmo com esse desempenho, Talita foi esquecida pela SEED. “Com toda a dificuldade que enfrentamos, em termos de estrutura física de nossa escola, nossos professores sempre nos apoiaram e fizeram um excelente trabalho que possibilitou a minha aprovação e dos meus colegas”, lembra Talita.

Talita e mais 29 colegas foram aprovados no Milton Dortas, que é considerado um Colégio de referência na região, todos esquecidos. O estudante José Everton Cruz Andrade, que foi aprovado para o curso de fisioterapia, na Universidade Federal de Sergipe, questiona o posicionamento da SEED.

“Gostaria de saber do secretario de educação, Jorge Carvalho, por que o estudante das escolas de ensino médio em tempo integral de Aracaju merecem ser parabenizados e a gente não? Mesmo o nosso Colégio não sendo de ensino médio em tempo integral, o Milton Dortas está dando certo, está mostrando o seu valor”, aponta o estudante.

Neste Colégio até o vice-governador, Belivaldo Chagas, se reuniu com professores para tentar convencê-los das proezas do Ensino Médio em tempo integral.

A razão da amnésia: a SEED só pensa em recurso

A comunidade escolar do Colégio Estadual Governador Valadares está entre aquelas que disseram não ao modelo excludente de ensino médio em tempo integral, e no Colégio Milton Dortas o debate ficou de continuar após a visita do vice- governador.

Em muitas escolas professores estudantes, pais, mães e funcionários têm recusado o projeto excludente de ensino médio em tempo integral imposto pela SEED. Com isso, o Secretário de Estado da Educação, Jorge Carvalho, entrou numa caça desesperada por recursos que só são prometidos para as escolas que aderirem ao ensino médio em tempo integral, e por isso é preciso passar uma ideia de que só elas dão resultado, esmagando uma rede inteira.

Nessa semana o Secretário, Jorge Carvalho, se reuniu com donos de construtoras e pediu ajuda a eles também na defesa do projeto. Qual a razão disso? O recurso que pode servir para reformas das escolas não será utilizado pela própria escola, sairá direto da SEED para as construtoras.