Imprimir

Estudantes do Dom Luciano fazem ato em frente à SEED e dizem não a modelo excludente de ensino médio em tempo integral

Escrito por Luana Capistrano Ligado . Publicado em Rede Estadual

Estudantes do Colégio Estadual Dom Luciano José Cabral Duarte, em Aracaju, foram para  frente da Secretaria de Estado da Educação (SEED) nesta quarta-feira, 15,  para dizer não ao modelo excludente e equivocado de ensino médio em tempo integral que a SEED deseja impor a qualquer custo aos Colégios da rede estadual.

Professores/as e estudantes foram tomados de surpresa no início desta semana quando o nome do Colégio Dom Luciano apareceu entre o das 15 unidades de ensino que se transformarão em Centro Experimental de Ensino Médio, por meio da implantação do ensino em tempo integral.

A notícia veio após o lançamento em Diário Oficial, no dia 10 de fevereiro, do Edital nº 05/2017, da SEED, que abre processo seletivo simplificado para professores do quadro efetivo da rede estadual para atuar nos Centros Experimentais de Ensino Médio. Neste edital o Colégio Estadual Dom Luciano e outros 14 colégios estão apontados como locais de lotação para os professores “aprovados” no processo seletivo.

Entenda melhor o caso do Dom Luciano

No mês novembro de 2016 estudantes do Colégio Dom Luciano ocuparam a unidade de ensino contra a implantação da Medida Provisória 746; contra Proposta de Emenda Constitucional 55, por uma política séria de fomento ao Ensino Médio na rede estadual; além de  melhorias nas condições físicas e pedagógicas da unidade de ensino.

A ocupação chegou ao fim quando membros da SEED estiveram no Colégio e prometeram fazer reformas para reestruturar a escola e trazer melhores condições de ensino e aprendizagem a estudantes e professores. Há época os estudantes deixaram claro que não aceitavam a implantação do ensino médio em tempo integral na unidade de ensino.

Os representes da SEED colocaram que o Colégio Dom Luciano só se transformaria em uma unidade de ensino médio em tempo integral caso assim a comunidade escolar desejasse.

Inicia-se o ano de 2017, o Secretário de Estado da Educação, Jorge Carvalho, e sua equipe, no afã de fazer valer o projeto excludente de ensino médio em tempo integral, já rejeitado por diversos Colégios da rede estadual, se reúne a portas fechadas, em um gabinete da própria SEDD com alguns membros do Conselho Escolar do Colégio Estadual Dom Luciano. Nesta reunião, sem qualquer debate, sem legitimidade da comunidade escolar, sai um documento em que o Conselho Escolar aprova a transformação do Dom Luciano em Centro Experimental de Ensino Médio, por meio da implantação do ensino em tempo integral.

A estudante do 3º ano, do ensino médio, Gislaine Rocha, afirma que durante a ocupação quando os representantes da SEED estiveram no Dom Luciano, eles garantiram que o colégio não se tornaria de tempo integral sem o consentimento da comunidade escolar.

“Fomos enganados. De repente, no início da semana, ficamos sabendo que o nosso colégio passará a ser de ensino médio em tempo integral. Houve apenas uma reunião com o Conselho Escolar do Dom Luciano. O debate não foi levado à comunidade escolar como um todo. Ou seja, uma ação complemente antidemocrática, sem envolver as pessoas mais interessadas no assunto: estudantes, professores e funcionários”, relata a estudantes

Escola sem condição

A estudante Gislaine Rocha coloca ainda que o Colégio Estadual Dom Luciano não tem condições de receber o ensino médio em tempo integral, pois sua atual estrutura física é precária.  A preocupação paira também sobre os estudantes que trabalham e terão que deixar a unidade de ensino caso ela venha a se tornar de tempo integral.

“Há anos nosso colégio não passa por reforma. Qualquer pessoa pode entrar lá e perceber que o Dom Luciano não tem condições de receber professores e estudantes em um único turno, imagine em tem integral. Nosso banheiro são imundos, não temos vestiários, o refeitório é pequeno, quando precisamos comer algo usamos a arquibancada da quadra, que diga-se de passagem também está em condições ruins.  Sem falar que com a implantação do ensino médio em tempo integral os estudantes que trabalham terão que buscar outro colégio para estudar e temos muitos estudantes nesta condição. O que será deste estudantes? Simplesmente será retirado do Colégio que ele escolheu para estudar? Isso não é certo” reflete com tristeza.

Documento protocolado

Após a manobra desleal da SEED, estudantes, professores, mães, pais e funcionários do Colégio Estadual Dom Luciano se reuniram, fizeram um abaixo-assinado e construíram um documento no qual colocam sua recusa à implantação do modelo de ensino médio em tempo integral imposto pela SEED. Durante o ato professores e professoras protocolaram ofício na SEED, constando o documento de rejeição elaborada pela a comunidade escolar.