Imprimir

Greve geral: Confira a agenda de luta do magistério em Sergipe

Escrito por sintese Ligado . Publicado em Rede Estadual

O SINTESE convoca os professores e professoras da rede estadual e das redes municipais a participarem da agenda de luta da Greve Geral da Educação em Sergipe.

agenda redes ATOSagenda redes ATOS

Na próxima segunda, dia 20, o SINTESE realiza a partir das 8h no Calçadão da João Pessoa (próximo ao antigo Bingo Palace) em Aracaju e nas cidades Capela, Lagarto, Estância (concentração na Praça Barão do Rio Branco, em frente ao calçadão), Itabaiana, Propriá e Neópolis uma enquete sobre a posição da sociedade em relação aos deputados federais e senadores que aprovam a Reforma da Previdência e a Privatização da DESO.

Dia 22 de março em virtude do Dia Mundial da Água acontece ato unificado onde sindicatos e movimentos sociais se unem contra a Privatização da Água e o magistério na luta contra a  destruição da carreira do magistério promovida pelo governo Jackson Barreto e desmonte da educação pública da rede estadual de ensino forçada pelo secretário de estado da Educação, Jorge Carvalho e contra prefeitos e prefeitas que insistem em desrespeitar as leis e retirar direitos.

Próximos passos

No dia 25 de março, o comando nacional de greve se reúne na CNTE, em Brasília, para definir os encaminhamentos.

Já no dia 27, às 15h no Instituto Histórico e Geográfico o SINTESE realiza assembleia geral unificada para informar ao magistério sergipano os próximos passos da greve geral.

Magistério de todo o Brasil em greve geral por tempo indeterminado

Desde a última quarta-feira, 15, que os professores e professoras da Educação Básica da rede pública de todo o Brasil está em greve por tempo indeterminado. No primeiro dia de greve (15/3) foi realizado, junto com outras categorias e movimentos sociais, ato público pelas ruas do centro comercial de Aracaju.

A Greve Geral da Educação foi deliberada no Congresso da CNTE – Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação que ocorreu em Brasília no mês de janeiro. No congresso, os professoras e professores de sindicatos dos 27 estados e do Distrito Federal decidiram que era o momento de fazer uma greve unificada e que ela começaria no dia 15 de março.

Na pauta nacional a luta contra a aprovação da reforma previdenciária e o cumprimento da lei do piso com reajuste para todos os professores na carreira.

Com decisão tomada, os dirigentes sindicais de todo o Brasil partiram para realizar assembleias para ratificar a deliberação do congresso.

Em Sergipe a assembleia unificada da rede estadual e das redes municipais aconteceu no dia 08 de março, por unanimidade professores e professoras decidiram aderir à greve por tempo indeterminado no dia 15 de março.