Imprimir

Enquete pretende mostrar que população sergipana é contra a reforma da previdência e a privatização da DESO

Escrito por Luana Capistrano Ligado . Publicado em Rede Estadual

Em seu quinto dia de greve professores e professoras se uniram a trabalhadores de diversos segmentos,A enquete aconteceu em 11 municípios do interior de Sergipe. Em Aracaju o ato foi realizado no Centro da capital A enquete aconteceu em 11 municípios do interior de Sergipe. Em Aracaju o ato foi realizado no Centro da capital organizados pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), nesta segunda-feira, 20, para realizar uma enquete junto a população sobre a Reforma da Previdência e a Privatização da Companhia de Saneamento de Sergipe (DESO).

O ato ocorreu em diversos municípios, em todos os pontos do Estado: Estância, Lagarto, Propriá, Porto da Folha, Capela, Japoatã, Neópolis, Ilha das Flores, Poço Redondo, Itabaiana e Moita Bonita. Em Aracaju ato aconteceu no Calçadão da Rua João Pessoa, no centro da capital.

Reforma da previdência

“O que o povo deve fazer com deputados e senadores que aprovem a reforma da previdência e trabalhista?”. Esta foi a pregunta feita à população durante a enquete sobre a reforma da previdência e trazia as seguintes opções de resposta:

  1. Não reeleger nunca mais
  2. Tratar como traidor (a)
  3. Continuar votando cegamente

De acordo com o vice-presidente do SINTESE e também dirigente da CUT, professor Roberto Silva, o objetivo da enquete é mostrar aos parlamentares sergipanos a opinião da população em relação a esta famigerada reforma capitaneada pelo governo golpista de Michel Temer.

“No ato do dia último dia 15 de março, e em outros espaços que construirmos, ficou visível a preocupação da população com a possível aprovação da reforma da previdência e trabalhista por parte dos deputados federais e senadores, tendo em vista que esta reforma condena os trabalhadores e trabalhadoras a trabalharem até a sua morte. Muitas pessoas vinham nos perguntar o que podiam fazer para demostrar que eram contra a reforma proposta pelo governo golpista de Michel Temer. Com isso tivemos a ideia de realizar a enquete”, conta o dirigente.

O professor Roberto Silva explica ainda que o resultado da enquete será compilado e enviado aos deputados federais e senadores sergipanos.

“Queremos mostrar a eles [deputados e senadores] que o povo de Sergipe é contra a reforma da previdência e trabalhista e passar também o seguinte recado: Quem vota contra o povo não volta ao congresso. Acreditamos que é de fundamental importância que deputados e senadores se posicionem publicamente a respeito da reforma da previdência. Não há meio termo: ou se é contra ou se é a favor. É preciso deixar claro que deputado e senador que são a favor da reforma da previdência e trabalhista estão traindo o povo brasileiro. Não queremos trabalhar até a morte, queremos que o nosso direito a aposentadoria continue a ser respeitado”, coloca o vice-presidente do SINTESE.     

DESO

Já sobre a DESO, a intenção da enquete aplicada foi saber se a população era contra ou a favor que “oA enquete quer dar aos deputados e senadores o seguinte recado: quem vota contra o povo não volta de novoA enquete quer dar aos deputados e senadores o seguinte recado: quem vota contra o povo não volta de novo governo Jackson e Temer privatizem a água”. Em suas falas durante o ato, os dirigentes sindicais fizeram questão de deixar claro para a população que água é um bem público e que colocar este bem nas mãos de empresários pode significar o sacrifício de milhares de vidas.

“Os empresários estão interessados em lucro e não em manter políticas públicas de acesso a água a todos. Se a água sai do controle do Estado e passa para a iniciativa privada quais garantias teremos de que estas políticas sejam realmente mantidas”, enfatiza o presidente da CUT, professor Rubens Marque (Dudu)

O vice-presidente do SINTESE, professor Roberto Silva, também fez questão de alertar a população sobre o engodo de que caso a DESO seja privatizada as contas ficarão mais baratas.

“Na época da privatização da Energipe, foi dito que a conta ia ficar mais barata, mas o que vemos é que as contas de energia estão cada vez mais caras. Não podemos deixar que aconteça o mesmo de novo. A DESO está na casa de 90% dos sergipanos e a água é um bem essencial. A população será atingida de forma drástica caso a DESO seja privatizada”, aponta.

Os dados sobre a enquete da privatização da DESO também serão compilados e enviados aos deputados estaduais de Sergipe.

A greve continua

Professores e professoras da rede estadual e das redes municipais de ensino de Sergipe estão em greve por tempo indeterminado desde o dia 15 de março e a greve continua. Na próxima quarta-feira, 22, os educadores sergipanos participarão de grande caminhada, junto a Frente Brasil Popular, contra a Privatização da DESO, Reforma da Previdência e Trabalhista. A concentração está marcada para as 8h da manhã, em frente à DESO. Os manifestantes seguirão em direção a Assembleia Legislativa de Sergipe (ALESE).