Imprimir

Professores, mães e estudantes do Colégio Estadual Felisbelo Freire continuam na luta para assegurar direito à educação

Escrito por Luana Capistrano Ligado . Publicado em Rede Estadual

Nove meses de muita luta e mobilização contra a imposição do modelo excludente de Ensino Médio em Tempo Integral impostos pela Secretaria de Estado da Educação (SEED). Esta tem sido a realidade vivida por professores, mães e estudantes do Colégio Estadual Felisbelo Freire, em Itaporanga d’Ajuda.

Diante de toda esta luta da comunidade escolar, o novo Secretário de Estado da Educação, Josué dos Passos Modesto Sobrinho, abriu canal de diálogo e em audiência ocorrida nesta segunda-feira, 7, concordou em participar de um plenária que irá ocorre no pátio Colégio Estadual Felisbelo Freire, na próxima quinta-feira, dia 10, às 14h.

Secretário se compromete a participar de plenária no Colégio Estadual Felisbelo Freire para debater possibilidade de funcionamento tanto de ensino médio em tempo integral como de ensino em tempo convencionalSecretário se compromete a participar de plenária no Colégio Estadual Felisbelo Freire para debater possibilidade de funcionamento tanto de ensino médio em tempo integral como de ensino em tempo convencional

 

A ideia é que se assegure o direto a educação para todos. Mesmo que a SEED mantenha o Ensino Médio em Tempo Integral no Colégio Estadual Felisbelo Freire, a comunidade escolar reivindica que seja também abertas turmas para o ensino fundamental e ensino médio convencional (por turno).

Luta contra a exclusão e pelo direito à educação

Em agosto de 2017, de maneira ilegítima, o Colégio Estadual Felisbelo Freire entrou na lista das unidades de ensino da rede estadual que seriam transformadas em Centro Experimental de Ensino Médio em Tempo Integral. De lá para cá houve greve de estudantes, passeatas nas ruas de Itaporanga d’Ajuda, reuniões na SEED e plenárias no Colégio, a comunidade escolar se mobilizou com toda a sua força para ser ouvida e mostrar o modelo de escola que desejam.

A exclusão de estudantes que não podem estar o dia todo no Colégio é um das maiores preocupações da comunidade escolar. Se a SEED não repensar, e seguir com o projeto de transformar Colégio Estadual Felisbelo Freire em Centro Experimental de Ensino Médio em Tempo Integral, o impacto da queda de matrícula será inicialmente visto nas turmas do 1º ano do Ensino Médio.

O Colégio Estadual Felisbelo Freire possui 12 turmas do 1º ano do Ensino Médio, nos turnos da manhã tarde e noite. Caso se abra matrícula apenas para o Ensino Médio em Tempo Integral, o número de turmas do 1º ano, no ano letivo de 2018 (que se inicia agora em maio), cairá 12 para 3.

“A pergunta que fica é: para onde vão todos os demais estudantes? A demanda existe, ela é real. O Felisbelo Freire é o maior colégio de Itaporanga, são 12 turmas somente do 1º ano e esse número pode ser reduzido a 3 turmas. Imagina o impacto ao longo dos próximos três anos, momento em que o Colégio funcionará apenas com o Ensino Médio de Tempo Integral. Serão excluídos não só os estudantes que não podem ficar o dia todo na escola, mas também todos os estudantes do ensino fundamental e todos do ensino noturno. O Felisbelo Freire se transformará em um elefante branco. Se há demanda e a SEED decidir não manter o ensino regular, o que vai acontecer é a negação do direito à educação ”, avalia a presidenta do SINTESE, professora Ivonete Cruz

É importante destacar que perder estudantes significa perder verbas. As verbas da educação estão diretamente associadas ao número de estudantes matriculados na rede de ensino. Quanto menos estudantes, menos dinheiro para fazer investimento na educação e para pagar professores e professoras.

Além dos estudantes, a exclusão atinge também professores e professoras. Aqueles que não fizeram o processo seletivo para fazer parte do corpo docente dos Centros Experimentais de Ensino Médio em Tempo Integral serão devolvidos a Diretoria Regional de Educação (DRE). Neste caso de Itaporanga d’ Ajuda, os professores e professoras serão devolvidos a DRE 08, e serão lotados em outra escola, não necessariamente em Itaporanga, afinal a DRE 08 engloba outros sete municípios.

“O modelo de Ensino Médio de Tempo Integral implantado pela SEED traz exclusão de todos os lados: O estudante trabalhador, que recorre ao turno noturno para concluir seus estudos, será excluído; as crianças e adolescentes do 6º ano ao 9º do ensino fundamental serão excluídos, o jovem que necessita ajudar sua família no turno contrário ao que estuda será excluído; os professores e professoras serão excluídos. Não somos contrários ao ensino integral, o que não podemos aceitar é o desmonte da rede em nome de um modelo implantado de forma atropelada, sem qualquer estudo ou diagnóstico”, coloca a diretora do departamento de base estadual, professora Leila Moraes.