Imprimir

Professores de Malhador paralisam atividades na próxima segunda

Escrito por sintese Ligado . Publicado em Redes Municipais

Na luta por seus direitos e por uma educação de qualidade, os professores da rede municipal de Malhador vão paralisar por um dia suas atividades, na próxima segunda-feira, 14. O intuito da paralisação é exigir o reajuste de 7,97% do piso salarial, que até o presente momento não vem sendo pago pela administração municipal, descumprindo a lei nacional que garante o reajuste do piso do magistério.

Durante tentativas de negociação a prefeita Elayne de Dedé e sua equipe, propuseram aos professores cortes em suas gratificações, afirmando que somente desta forma a prefeitura teria condições de pagar o reajuste de 7,97%. No entanto, seria reduzido com estes cortes aproximadamente 12% das gratificações dos professores, o que representaria uma grande perda para a categoria. Uma proposta que os educadores consideraram, no mínimo, indecorosa.

Outras reivindicações

Os professores lutam também por melhores condições de trabalho e por mais respeito à educação e aos alunos do município. Boa parte das escolas estão sucateadas e faltam materiais didáticos para o desenvolvimento de atividades pedagógicas. 

Os alunos da Escola Municipal Finlândia, localizada no povoado Poço Terreiro, no início de 2013, foram deslocados para outra unidade escolar, em outro povoado, para que a escola pudesse ser reformada. Oito meses se passaram e até agora a obra não foi iniciada, o que prova a falta de respeito e compromisso da prefeitura com a comunidade escolar.

Outro desrespeito que a prefeitura vem cometendo contra os estudantes da rede municipal envolve o transporte escolar. Os alunos que residem em povoados, mas estudam em Malhador no período da tarde, se queixam que o transporte escolar passa muito cedo em seus povoados. Com isso, os alunos chegam às escolas antes das 12h, sendo que as aulas da tarde só começam às 13h. 

Muitos destes estudantes estão indo para a escola sem almoçar, de tão cedo que o transporte passa nos povoados. Os professores já entraram em contato com a Secretaria Municipal de Educação de Malhador para exigir que uma providência fosse tomada, mas até o momento a situação permanece a mesma.

Os professores da rede municipal de Malhador pedem o apoio da populaça nesta luta por mais respeito, dignidade e por uma educação de qualidade.

Foto: Professores de Malhador paralisam atividades na próxima segunda
Na luta por seus direitos e por uma educação de qualidade, os professores da rede municipal de Malhador vão paralisar por um dia suas atividades, na próxima segunda-feira, 14. O intuito da paralisação é exigir o reajuste de 7,97% do piso salarial, que até o presente momento não vem sendo pago pela administração municipal, descumprindo a lei nacional que garante o reajuste do piso do magistério.
Durante tentativas de negociação a prefeita Elayne de Dedé e sua equipe, propuseram aos professores cortes em suas gratificações, afirmando que somente desta forma a prefeitura teria condições de pagar o reajuste de 7,97%. No entanto, seria reduzido com estes cortes aproximadamente 12% das gratificações dos professores, o que representaria uma grande perda para a categoria. Uma proposta que os educadores consideraram, no mínimo, indecorosa.
Outras reivindicações
Os professores lutam também por melhores condições de trabalho e por mais respeito à educação e aos alunos do município. Boa parte das escolas estão sucateadas e faltam materiais didáticos para o desenvolvimento de atividades pedagógicas.
Os alunos da Escola Municipal Finlândia, localizada no povoado Poço Terreiro, no início de 2013, foram deslocados para outra unidade escolar, em outro povoado, para que a escola pudesse ser reformada. Oito meses se passaram e até agora a obra não foi iniciada, o que prova a falta de respeito e compromisso da prefeitura com a comunidade escolar.
Outro desrespeito que a prefeitura vem cometendo contra os estudantes da rede municipal envolve o transporte escolar. Os alunos que residem em povoados, mas estudam em Malhador no período da tarde, se queixam que o transporte escolar passa muito cedo em seus povoados. Com isso, os alunos chegam às escolas antes das 12h, sendo que as aulas da tarde só começam às 13h.
Muitos destes estudantes estão indo para a escola sem almoçar, de tão cedo que o transporte passa nos povoados. Os professores já entraram em contato com a Secretaria Municipal de Educação de Malhador para exigir que uma providência fosse tomada, mas até o momento a situação permanece a mesma.
Os professores da rede municipal de Malhador pedem o apoio da populaça nesta luta por mais respeito, dignidade e por uma educação de qualidade.Foto: Professores de Malhador paralisam atividades na próxima segunda Na luta por seus direitos e por uma educação de qualidade, os professores da rede municipal de Malhador vão paralisar por um dia suas atividades, na próxima segunda-feira, 14. O intuito da paralisação é exigir o reajuste de 7,97% do piso salarial, que até o presente momento não vem sendo pago pela administração municipal, descumprindo a lei nacional que garante o reajuste do piso do magistério. Durante tentativas de negociação a prefeita Elayne de Dedé e sua equipe, propuseram aos professores cortes em suas gratificações, afirmando que somente desta forma a prefeitura teria condições de pagar o reajuste de 7,97%. No entanto, seria reduzido com estes cortes aproximadamente 12% das gratificações dos professores, o que representaria uma grande perda para a categoria. Uma proposta que os educadores consideraram, no mínimo, indecorosa. Outras reivindicações Os professores lutam também por melhores condições de trabalho e por mais respeito à educação e aos alunos do município. Boa parte das escolas estão sucateadas e faltam materiais didáticos para o desenvolvimento de atividades pedagógicas. Os alunos da Escola Municipal Finlândia, localizada no povoado Poço Terreiro, no início de 2013, foram deslocados para outra unidade escolar, em outro povoado, para que a escola pudesse ser reformada. Oito meses se passaram e até agora a obra não foi iniciada, o que prova a falta de respeito e compromisso da prefeitura com a comunidade escolar. Outro desrespeito que a prefeitura vem cometendo contra os estudantes da rede municipal envolve o transporte escolar. Os alunos que residem em povoados, mas estudam em Malhador no período da tarde, se queixam que o transporte escolar passa muito cedo em seus povoados. Com isso, os alunos chegam às escolas antes das 12h, sendo que as aulas da tarde só começam às 13h. Muitos destes estudantes estão indo para a escola sem almoçar, de tão cedo que o transporte passa nos povoados. Os professores já entraram em contato com a Secretaria Municipal de Educação de Malhador para exigir que uma providência fosse tomada, mas até o momento a situação permanece a mesma. Os professores da rede municipal de Malhador pedem o apoio da populaça nesta luta por mais respeito, dignidade e por uma educação de qualidade.