Bullying na pauta da escola

Escrito por Kátia Simone Azevedo Ligado . Publicado em Rede Estadual

 

Normal 0 21 false false false PT-BR X-NONE X-NONE MicrosoftInternetExplorer4 /* Style Definitions */ table.MsoNormalTable {mso-style-name:"Tabela normal"; mso-tstyle-rowband-size:0; mso-tstyle-colband-size:0; mso-style-noshow:yes; mso-style-priority:99; mso-style-qformat:yes; mso-style-parent:""; mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt; mso-para-margin:0cm; mso-para-margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:11.0pt; font-family:"Calibri","sans-serif"; mso-ascii-font-family:Calibri; mso-ascii-theme-font:minor-latin; mso-fareast-font-family:"Times New Roman"; mso-fareast-theme-font:minor-fareast; mso-hansi-font-family:Calibri; mso-hansi-theme-font:minor-latin; mso-bidi-font-family:"Times New Roman"; mso-bidi-theme-font:minor-bidi;}

Agressões como apelidos depreciativos, ameaças, humilhações. Esses são alguns dos sinais do Bullying, distúrbio de comportamento definido como assédio moral ou violência, que vem sendo uma das principais causas da evasão escolar e ponto de conflito no espaço da escola. No Brasil, 40,5% dos alunos admitiram envolvimento diretamente em atos de bullying, segundo pesquisa da Associação Brasileira Multiprofissional de Proteção à Infância e Adolescência (Abrapia) realizada em 2002 com estudantes do 5º ao 8º ano do Rio de Janeiro. Em Sergipe, o Programa Cidadania e Paz nas Escolas, realizado pelas Secretarias Estaduais de Educação e da Segurança Pública, tem como objetivo orientar professores e supervisores dentro de uma prática pedagógica com base na cultura de paz. Porém, a iniciativa só está presente em escolas estaduais.