Carta aos pais de Itabaiana

Escrito por Caroline Santos Ligado . Publicado em Redes Municipais

Senhores pais,

Nós, professores e professoras que todos os anos ensinamos aos seus filhos, estamos vivendo momentos difíceis em Itabaiana.

Ao longo dos anos, sempre com muita luta, os professores conquistaram direitos que estão em duas leis chamadas Plano de Carreira e Estatuto do Magistério.

Hoje, lutamos pela Implantação do Piso Salarial dos professores, que é uma lei federal e tem como objetivo valorizar os salários dos professores.

O que ocorre em Itabaiana é que a prefeitura municipal, com a desculpa de pagar esse piso que é lei e é nosso direito quer retirar outros direitos que nós conquistamos ao longo dos anos, como por exemplo: a regência de classe, a titulação; querem modificar nosso plano de carreira e estatuto.

Imaginem senhores que é como se tivéssemos precisado lutar para garantir o direito de comer, beber, se vestir, agora o governo através de uma lei federal nos garante o resultado de uma grande luta, o piso salarial, é como se nos garantisse o direito ao respeito, e a prefeitura dissesse que para termos este último teríamos de deixar de comer, por exemplo.

“Você pode até ser respeitado, mas para isso vai ter que deixar de comer...” – tal é a situação dos trabalhadores educadores de Itabaiana.

O mais revoltante é que o município, que não oferece uma educação de qualidade para seus filhos, nem condições para efetuá-la, agora quer avaliar professor para exonerar, demitir. É como se o professor fizesse uma prova com seus filhos sem antes ter explicado a matéria, e no final reprovasse o aluno.

Você que tem filhos nas escolas municipais sabe o esforço dos professores para que seus filhos aprendam e tenham um bom futuro.

Lutamos para que seu filhos tenham transporte, merenda, carteiras, reformas de escolas, material para estudar. E agora estamos ameaçados de perdermos nossos direitos.

Somos ameaçados e vivemos momentos de terror.

Vamos lutar com todas as nossas forças, só pararemos as aulas como último recurso, porém nos comprometemos a repor e não prejudicaremos nenhum de nossos alunos.

Esperamos a compreensão e apoio de todos.