Imprimir

A velha guarda do Vaticano ainda resiste às mudanças que o Papa Francisco tenta impor

Escrito por Philip Pullella, do Vaticano, para Reuters - via Carta Maior Ligado . Publicado em Mundo

As livrarias da Europa receberão neste fim de ano dois novos livros de jornalistas italianos relatando um outro Vaticano, o que as notícias não mostram: uma instituição assolada pelas más administrações, pela cobiça, pelo amiguismo e pela corrupção, onde a agenda de reformas do papa Francisco ainda precisa enfrentar uma dura resistência de parte dos cardeais da velha guarda.

Os livros Merchants in the Temple (“Vendilhões do Templo”), de Gianluigi Nuzzi, e Avarizia (“Avareza”), de Emiliano Fittipaldi, chegam às lojas da Itália nesta quarta-feira, e já vem sendo fortemente criticados no Vaticano. Na segunda-feira, a Santa Sé divulgou um comunicado dizendo que os livros “geram interpretações confusas, parciais e tendenciosas”. O mesmo comunicado anunciou também a prisão de dois membros da comissão que o sumo pontífice criou para estudar as reformas financeiras. Os dois homens, incluindo um religioso de alta influência dentro da Igreja, foram detidos por suspeitas de vazamento de documentos confidenciais aos autores dos livros.

Um de momentos mais importantes do Merchants in the Temple, o livro de Nuzzi, ao qual a Reuters teve acesso antes de sua publicação, é a transcrição de uma gravação do Papa numa reunião, em julho de 2013, quatro meses depois de sua eleição, na qual ele se queixa aos altos cardeais do Vaticano sobre as finanças turvas da instituição. “Temos que esclarecer da melhor forma as finanças da Santa Sé, e torná-las mais transparentes”, diz Francisco na gravação, a que, segundo o autor foi realizada em segredo por alguém que participou da reunião.

“C-l-a-r-i-d-a-d-e. Isso é o que se faz nas companhias mais humildes, e nós devemos fazê-lo também”, disse o santo padre, agregando que “não é um exagero dizer que a maioria dos nossos custos está fora de controle”.

Nuzzi ganhou fama no mundo literário em 2012, com o livro Sua Santità, que se baseou, em grande parte, nos documentos vazados por Paolo Gabriele, o mordomo do ex-papa Bento XVI. Na época, o escândalo que foi chamado de Vatileaks levou o mordomo à prisão e gerou uma grande repercussão a nível mundial, o que, segundo analistas, teria contribuído para a decisão do então papa de renunciar – o que ele anunciou no ano seguinte da publicação do livro.

Em Avarizia, que também se baseia em vazamentos, Fittipaldi denuncia um esquema que consiste no desvio de alguns dos recursos de uma fundação que administra um hospital infantil do Vaticano em Roma. Esses recursos foram usados, entre outras coisas, para pagar as prestações de um apartamento que pertence a um importante cardeal.

Tradução: Victor Farinelli