Imprimir

CUT convoca trabalhadores para Dia Nacional de Luta

Escrito por Iracema Corso - CUT/SE Ligado . Publicado em Sociedade

A Central Única dos Trabalhadores convoca os sindicatos filiados a participarem, no dia 15 de março, do Dia de Paralisação Nacional contra as Reformas da Previdência, Trabalhista e do Ensino Médio. A data coincide com o primeiro dia da greve geral e nacional dos professores, por tempo indeterminado. Em Sergipe, estará na pauta a Luta contra a Privatização da DESO. A concentração está marcada para as 15h, na Pça General Valadão, de onde sairá uma caminhada pelas ruas de Aracaju fazendo um circuito pelo Centro comercial rumo à Assembleia Legislativa.

 

Reformas contra os Trabalhadores - Trabalhar mais, contribuir mais com a Previdência, receber uma aposentadoria menor e se aposentar mais tarde. Este é o futuro que o Governo Federal está preparando para a população brasileira. Uma proposta materializada nos Projetos de Lei 6.787, a PEC 287, a PEC 55, a Reforma da Consolidação das Leis Trabalhistas e da Previdência.

Confira em tópicos algumas das mudanças propostas: 


*Mais trabalho: 10 anos a mais de trabalho e contribuição à Previdência para se aposentar;
*Aposentadoria achatada: Só terá direito a aposentadoria integral quem tiver no mínimo 65 anos de idade e 49 anos de contribuição;
*A pensão por morte será de 50% para o cônjuge e 10% por cada filho até 18 anos. Não será permitido acumular pensão e aposentadoria;
*Fim da compensação pela dupla jornada das mulheres: a idade mínima para aposentadoria de homens e mulheres será 65 anos;
*Idosos de Baixa Renda só poderão receber o Benefício de Prestação Continuada a partir dos 70 anos de idade;
*Sem sindicato: sem qualquer garantia da manutenção dos empregos, trabalhadores terão que negociar direitos e reajustes salariais diretamente com patrões;
*Fim da segurança no emprego: será mais fácil e mais barato demitir.


Falso Rombo – O Rombo na Previdência é um dos falsos argumentos usados para fazer a Reforma da Previdência a qualquer custo, retirando direitos e reduzindo benefícios de quem já contribuiu muito para a Previdência.

Segundo dados oficiais do Governo Federal (SIAF), divulgados em 2015 pela Anfip, a soma das receitas da Seguridade Social chega a R$ 694 bi, sendo R$ 352,6 bi de contribuição previdenciária mais R$200,9 bi de COFINS, R$59,7 bi de CSLL, R$ 53 bi de PIS/PASEP, R$ 20 bi de entidades da Seguridade e R$ 7,8 bi de outras contribuições.

A soma das despesas chega a R$ 683 bi, sendo R$ 436 bi de Benefícios Previdenciários, R$41,8 bi de Benefícios Assistenciais, R$ 26,9 bi de Bolsa Família e outros, R$ 102,2 bi de saúde, R$ 48,2 bi de Benefícios do FAT e R$ 27,9 bi de outras despesas. Subtraindo receita e despesa, obtemos um saldo positivo de R$ 11 bilhões. Então, cadê o rombo?