Imprimir

Contra a privatização da Deso, sindicalistas travam diálogo com vice-governador

Escrito por Iracema Corso - CUT/SE Ligado . Publicado em Sociedade

Atendendo a uma solicitação da Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE), o vice-governador Belivaldo Chagas (PSB) recebeu na manhã desta segunda-feira, dia 8 de maio, dirigentes do SINDISAN e o presidente da CUT, professor Rubens Marques. O objetivo da reunião foi travar uma conversa franca e saber se o Governo do Estado tem interesse de privatizar a Deso.

O presidente da CUT/SE destacou a importância da Deso para o desenvolvimento de Sergipe, o papel social da empresa e recordou a ‘Era das Privatizações’ para ressaltar que privatizar o bem público não gera nenhum benefício para a população. “Tendo como parâmetro a privatização da Energipe, o que vimos foi aumento da tarifa. E ninguém conhece em Sergipe nenhuma obra estruturante em benefício dos sergipanos que foi feita com o dinheiro da privatização da Energipe”, criticou.

Apesar de afirmar que não há definição concreta no Governo do Estado para a privatização da Deso, Belivaldo esclareceu que a administração aguarda o resultado do estudo de viabilidade a respeito da privatização da Companhia, que está sendo elaborado pelo BNDES e deve ser concluído no final do mês de julho.

O presidente da CUT avaliou que deve continuar a mobilização em defesa da Deso pública, patrimônio do povo sergipano. “No entendimento da CUT, após toda explanação do vice-governador, a conclusão é que não está descartada a possibilidade de privatização da Deso, pois o governo está fazendo estudo de viabilidade. Além disso, observamos que tem obra de infraestrutura da Deso em todo o estado, e geralmente quando o governo vai privatizar alguma empresa, ele arruma a casa para depois vender, portanto isso é um alerta”.

Rubens Marques lembrou a Belivaldo Chagas que no interior a concessão pertence aos municípios e ressaltou a atuação do sindicato. “A direção do SINDISAN está de parabéns pelo debate qualificado que seus dirigentes fizeram hoje, os trabalhadores da Deso não poderiam estar melhor representados”.

Sérgio Passos, presidente do SINDISAN, acompanhado por outros dirigentes sindicais que representam trabalhadores da Deso, enfatizou que o Governo vai encontrar resistência nas Câmaras de Vereadores caso ele decida privatizar a Deso. “A maioria da população de Sergipe é contrária à privatização da Deso. Vamos continuar realizando audiências públicas nas Câmeras de Vereadores dos municípios para informar sobre o assunto que é de interesse de todos os sergipanos”.

Sérgio Passos (SINDSAN) também informou que a Fundação Getúlio Vargas já realizou um estudo detalhado sobre a Deso e garantiu que irá disponibilizar este material para o vice-governador para aprofundar o debate sobre o assunto.

QUATRO ANOS SEM REAJUSTE – O professor Rubens Marques incluiu na pauta da reunião a cobrança de uma audiência do Governo do Estado com sindicatos de servidores CUTistas e não CUTistas, que estão há quatro anos sem reajuste salarial. “Não sou contra que o Governo tenha concedido reajuste para algumas categorias de trabalhadores, mas a maioria continua sem reajuste. Não somos contra o reajuste salarial de nenhum trabalhador, mas é preciso respeitar o Princípio da Isonomia”.

Belivaldo Chagas apontou dificuldades financeiras enfrentadas pelo Governo como um obstáculo para conceder o reajuste salarial dos servidores. Então o presidente da CUT questionou: “Por que o Governo não executa a dívida ativa, correspondente aos impostos que empresas privadas devem ao Estado de Sergipe e não pagam, que chegam à ordem de R$ 5 bilhões. Para que essas empresas paguem o que devem é preciso que o estado execute a dívida por via judicial”, frisou.