Imprimir

CUT/SE reúne lideranças sindicais na 15ª Plenária Estatutária - Congresso Estadual Extraordinário e Exclusivo

Escrito por Iracema Corso - CUT/SE Ligado . Publicado em Sociedade

Nos dias 14 e 15 de julho de 2017 (sexta e sábado), acontece em Aracaju a 15ª Plenária Estatutária – Congresso Estadual Extraordinário e Exclusivo da Central Única dos Trabalhadores (CUT/Sergipe).

A abertura da Plenária será às 19h da sexta-feira no Auditório “Antonio Vieira da Silva Neto”, da Escola Municipal Presidente Vargas, localizada na Rua Neópolis, S/N - Bairro Siqueira Campos.

O movimento sindical e social do estado de Sergipe foi convidado para a abertura da Plenária que vai contar com a Análise de Conjuntura Internacional e Nacional de Jandira Mussue Uehara, secretária nacional de Política Social e Direitos Humanos da CUT.

No dia seguinte, o professor Rubens Marques fará a Analise de Conjuntura Estadual e Balanço Organizativo da CUT/SE. Até o fim da tarde, o Congresso vai focar no debate entre lideranças sindicais filiadas à Cut/Sergipe.

Os eixos norteadores para a avaliação e reconstrução de um programa de luta unificada serão traçados no Congresso através da apresentação de propostas, textos, emendas; inscrição de chapas; apresentação de Moções, debate e votação.

Vice-presidente da CUT/SE, Plínio Pugliesi, ressaltou que após nova fase do golpe que destruiu a CLT com aprovação da Reforma Trabalhista no Senado, é urgente que as lideranças sindicais de todo Brasil façam reflexão e debate sobre o atual horizonte de luta.

“A CUT/SE junto às demais entidades que compõe a Frente Brasil Popular, fez a luta, fez a denuncia, trabalhou na resistência ao golpe desde o início, e não vamos parar por aqui. Meus cumprimentos a todas as trabalhadoras e trabalhadores, estudantes, militantes, toda a população guerreira que não se calou, que foi às ruas e fez história na defesa dos direitos trabalhistas. Os ladrões roubaram os nossos direitos, mas ainda não conseguiram roubar nossos sonhos. A luta dos explorados vai continuar contra esse sistema que só existe para beneficiar uma minoria de privilegiados”.