Imprimir

Moção de Apoio aos estudantes indiciados pela UFS

Escrito por Caroline Santos Ligado . Publicado em IX Conferencia

A moção foi aprovada na IX Conferência dos Trabalhadores em Educação realizada de 14 a 1 de outubro no Iate Clube de Aracaju.

Por entendermos que nós educadores somos responsáveis pela garantia da permanência do saber político e pedagógico que ultrapassa os muros institucionais e, portanto, pode contribuir para a tomada de posição contra a criminalização de pessoas e grupos, imputados pelos grupos conservadores;

Por entendermos que, quando a punição militarizada e judicializada acontece na academia, esta perde a razão de ser, porque há o deslocamento do ato pedagógico para o ato punitivo que afronta as liberdades e os direitos humanos;

Por entendermos que o sistema educacional não pode ser compreendido como sistema prisional, e que como educadores temos obrigação de garantir o diálogo e o respeito do livre pensar, sabendo conduzir as diferenças de entendimento de que uma sociedade pode se alicerçar em coerção.

Por entendermos que o campo do saber é conflituoso e possui batalhas de idéias e, por isso, não podemos transformar este, em um campo onde a única relação possível seja a do autoritarismo.

Por entendermos que Educar é fazer pensar livre.

Por entendermos que o diálogo é a condição da existência da valorização histórica de uma Instituição de Formação Científica e Pedagógica, como sempre se espera dessa Universidade, é que, declaramos nossos votos na esperança do imediato estabelecimento do diálogo político pedagógico, do direito de defesa dos estudantes, sem a intervenção militarizada e judicializada de medidas que possam cercear o direito de livre expressão, fundamento democrático, e reafirmamos nossa crença de que Construir uma Instituição Educacional é garantir esses direitos.