Professores de Estância realizam via crúcis nesta quarta

Escrito por sintese Ligado . Publicado em Redes Municipais

O ato público é para protestar contra o projeto de lei que o prefeito Ivan Leite enviou para a Câmara de Vereadores que altera o Plano de Carreira e Remuneração do Magistério. A concentração será no em frente ao Colégio Estadual Valter Franco (Premem). Os educadores da rede municipal de Estância realizam nesta quarta, dia 05, a partir das 19h, uma via crúcis. O ato público é para protestar contra o projeto de lei que o prefeito Ivan Leite enviou para a Câmara de Vereadores que altera o Plano de Carreira e Remuneração do Magistério. A concentração será no em frente ao Colégio Estadual Valter Franco (Premem).

A categoria convidou a comunidade e pediu que todos fossem de preto e levassem velas. “A tradição católica diz que a via crúcis têm 15 estações, sendo que a última equivale a ressurreição de Jesus Cristo, os professores farão somente catorze, pois não há o que celebrar na realidade atual”, disse o professor Dominginhos, coordenador geral da sub-sede Sul do SINTESE.

Os professores apelidaram o plano de “Plano da Morte” porque retira direitos históricos dos professores a exemplo da diminuição da regência de classe de 50% para 30% fazendo com que os salários fiquem ainda mais achatados. O prefeito assume que vai diminuir a jornada de trabalho e conseqüentemente os salários, sem consultar a categoria. O prefeito quer incutir na cabeça dos professores que a redução de salário é necessária, mas isso é inadmissível. Os educadores estão abertos ao diálogo e solicitam que o prefeito retire o projeto de tramitação na Câmara e sente com os professores para negociar.

Piores salários

De acordo com estudos feitos pelo SINTESE em parceria com o DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, os salários dos educadores de Estância estão em 59° no Nível médio e em 43°no superior, dentre os 75 municípios sergipanos. “Há algum tempo atrás os professores do nosso município recebiam os melhores salários do estado”, disse Dominginhos.

A justificativa da prefeitura era que o município precisava fazer economia, mas somente os salários dos servidores públicos foram cortados, o do prefeito e dos secretários continuou o mesmo. Ivan Leite recebe mensalmente R$15.260, esse valor inclusive é maior que o do prefeito da capital.

Transparência

Ao contrário do que o prefeito declarou na imprensa, o sindicato apresentou para a categoria a proposta do plano aos professores, a avaliação foram feitas nas diversas assembléias ocorridas e a categoria rechaçou as propostas. “Há três anos solicitamos que a prefeitura envie as folhas de pagamento completas, mas isso não acontece”, disse professora Maria José, da coordenação da sub-sede Sul. De acordo com ela a prefeitura só envia a parte onde constam os salários, mas não a fonte pagadora. “Como fiscalizar se não há indicação de onde vem o recurso” questiona. Há problemas também nos conselhos do Fundeb e da Alimentação Escolar.

Negação de direitos

O inciso II do Art. 67 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB concede ao professor o direito de ser liberado (com recebimento de salário) para cursar pós-graduação, mestrado e doutorado, o objetivo desta liberação é que o educador sempre busque a qualificação que tem como resultado a melhoria do ensino. O prefeito disse que “liberou” o afastamento remunerado por três meses, mas em qual instituição de ensino se faz uma especialização, mestrado ou doutorado neste curtíssimo período de tempo?

Os resultados da política equivocada de educação da prefeitura municipal de Estância se refletem no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – Ideb que em 2007 registrou nos anos iniciais do Ensino Fundamental a média de 2,9 e nos anos finais 2,3.