Imprimir

Rede ‘Hora da Verdade’ é avaliada por comunicadores populares

Escrito por Luana Capistrano Ligado . Publicado em SINTESE em AÇÃO

Os comunicadores populares da rede ‘Hora da Verdade’, organizada pelo SINTESE, estiveramA avaliação aconteceu no sábado e reuniu os comunicadores populares dos sete municípios sergipanos em que o programa ‘Hora da Verdade’ está presenteA avaliação aconteceu no sábado e reuniu os comunicadores populares dos sete municípios sergipanos em que o programa ‘Hora da Verdade’ está presente em Aracaju, neste sábado, dia 8, para avaliar o andamento dos programas de rádio ligados à rede. Com quase quatro anos de existências, o programa ‘Hora da Verdade’ já se está em sete rádios nos munícipios de Itabaiana, Japoatã, Estância, Lagarto, Aquidabã, Neópolis e Aracaju.

Para o diretor de comunicação do SINTESE, Joel Almeida, o ‘Hora da Verdade’ é uma conquista para os trabalhadores da educação. “Uma conquista porque passamos muito tempo sem ter um espaço para colocar temas importantes para os profissionais da educação e para a sociedade em geral. Na grande mídia estamos acostumados, na maioria das vezes, a ouvir uma única voz, que é a voz dos donos da mídia, que fazem parte de uma elite política e social. O ‘Hora da Verdade’ vem no sentido oposto, ele vem trazer a voz dos oprimidos, a voz dos trabalhadores”, afirma Joel.  

Avaliação

Foram avaliados pelos comunicadores populares aspectos que compõem a estrutura dos programasA avaliação dos programas de rádio da rede ‘Hora da Verdade’ acontece a cada seis meses A avaliação dos programas de rádio da rede ‘Hora da Verdade’ acontece a cada seis meses ‘Hora da Verdade’ como: produção, organização da equipe, pautas, participação do público, entre outros. Foi um momento de troca de experiências entre os grupos que fazem os programas ‘Hora da Verdade’ nos sete municípios sergipanos.

O produtor e locutor do programa ‘Hora da Verdade’, do município de Lagarto, professor Irineu Oliveira, acredita que o momento de avaliação contribui para trazer mais proximidade e entrosamento entre todos que compõem a rede na construção de um programa que não busca apenas informar, mas também formar.

“O programa ‘Hora da Verdade’ ele não se reduz apenas a informação, ele busca promover a formação de seus ouvintes. A importância deste encontro é porque aqui discutimos e buscamos cada vez mais fazer um programa melhor para a comunidade. A nossa mídia, sobretudo no interior, é uma mídia voltada para os grupos oligárquicos. As rádios estão a serviço destes grupos. Nós fazemos um programa completamente diferente, nosso programa é classista, tem lado: o lado dos trabalhadores”, destaca o professor Irineu.

Para o professor Gilvado Costa, que produz e apresenta o programa, na cidade de Itabaiana, o ‘Hora da Verdade’ é um projeto ousado no estado por dar oportunidade de trabalhadores falarem para trabalhadores.  “Se eu tivesse que sintetizar em uma palavra o que significa o ‘Hora da Verdade’ eu diria ousadia. Quando iriamos imaginar em nosso estado, que um sindicato de trabalhadores poderia ter um programa de rádio, que não é só um programa de rádio é um projeto de comunicação espalhado em diferentes regiões de Sergipe? O ‘Hora da Verdade’ é uma realidade, a realização de um sonho. Uma comunicação feita por trabalhadores para trabalhadores” aponta.

Para o produtor e locutor do programa ‘Hora da Verdade’, em Estância, professor Dilson Águia, o ‘Hora da Verdade’ representa a luta da classe trabalhadora.  “Sabemos que a classe trabalhadora tem poucos espaços de poder. O programa ‘Hora da Verdade’ vem justamente para isso, para que a voz da classe trabalhadora seja ouvida e que as nossas lutas sejam expandidas para que a população possa ter conhecimento”, visualiza.

Espaço de luta

O locutor do ‘Hora da Verdade’ de Japoatã, professor Marcos Oliveira, avalia que o programa é muito importante para sua região. “Na região de Japoatã o Hora da Verdade é muito importante porque fez com que o trabalhador pudesse interagir como o canal de notícia e falar sobre sua realidade diária. O ‘Hora’ dá voz ao trabalhador, é um instrumento de luta”, conta.

Para a locutora do programa em Aquidabã, professora Andréa Menezes, a boa aceitação da população ao programa ‘Hora da Verdade’ vem do esforço de todos os envolvidos na rede, que buscam fazer uma mídia diferente, uma mídia que paute o trabalhador e sua realidade. “Em Aquidabã o ‘Hora da Verdade’ é muito bem aceito pela população, que interagem sempre conosco. Isso nos dá prazer de participar do programa porque a gente vê a aceitabilidade da população. O ‘Hora’ é pedaço da vida da gente. Nós que fazemos o ‘Hora da Verdade’ fazemos por amor, por acreditamos no projeto e principalmente por acreditarmos que podemos fazer uma mídia diferente que dê voz e vez aos trabalhadores” pontua a professora Andréa.

Para o professor Alberto Santos, locutor e produtor do ‘Hora da Verdade’, em Neópolis, o programa Hora da Verdade é um projeto novo, mas é que alcançou êxito e se tornou um projeto vitorioso. “Um projeto que com certeza faz uma diferença enorme na vida dos sergipanos porque o ‘Hora da Verdade’ é a voz do trabalhado e da trabalhadora, independente de ser um programa dos professores e professoras, ele é feito para a sociedade sergipana”, finaliza.