Proclamação da República: Golpe sem participação popular

16

O 15 de novembro comemora a Proclamação da República, ocorrida em 1889, que colocou fim ao Brasil Imperial comandado por Dom Pedro II. O novo sistema de governo aconteceu depois de quase 20 anos de luta em defesa de um regime presidencialista representativo com descentralização administrativa e política. Convencidos que a República não seria conquistada com propaganda política e atuação eleitoral, os republicanos intensificam a mobilização popular e passam a conspirar pela derrubada do imperador. O último abalo do Império foi o fim da escravidão, em maio de 1888, fazendo os fazendeiros escravocatas aderirem à tese da República. Os trabalhadores urbanos e boa parte dos oficiais do Exército já haviam aderido. Civis e militares passam a conspirar contra o império, com destaque para Rui Barbosa, Francisco Glicério, Benjamin Constante e Quintino Bocaiuva. Eles conseguem a adesão do Marechal Deodoro da Fonseca, que no dia 15 de novembro marcha com seu batalhão até o Ministério da Guerra, no Rio, e sem qualquer resistência depõe o Gabinete Imperial liderado pelo Visconde de Ouro Preto. O golpe não conta com qualquer participação popular. Dois dias depois Dom Pedro e a família real embarcam para Portugal. Deodoro da Fonseca passa a comandar um governo provisório com a tarefa de aprovar nova Constituição com descentralização de poder e reformas administrativas. Fonte: Tribuna Metalúrgica