Professores cobram cronograma de pagamento em ato público

40

O SINTESE realiza na próxima terça-feira, dia 7, às 9 horas, um ato público com assembléia, em frente à Secretaria de Estado da Educação, para cobrar do Governo o cumprimento do cronograma de pagamento dos direitos que estão sendo negados. Os professores da rede pública de ensino esperam receber a proposta de cronograma da SEED, prometida como condição para o fim da greve de abril deste ano. Durante a greve dos professores, a Secretaria de Estado da Educação apresentou uma proposta ao SINTESE que atendia uma parte das reivindicações da categoria. Em outubro, o secretário da época, Gilmar Mendes, fez ainda a promessa ao SINTESE de que até o dia do professor, 15 de outubro, apresentaria um cronograma de pagamento dos direitos negados, mas não cumpriu. Houve mudança de secretário, passou-se o mês de novembro, chegou dezembro e o problema continua sem solução. Prazo esgotado Em reunião ocorrida no dia 16 de novembro entre representantes da Secretaria de Educação e a Comissão de Negociação do SINTESE, o secretário Lindeberg Lucena propôs um prazo de 15 dias para apresentar o cronograma de pagamento dos direitos dos professores, que foi esgotado ontem. “Esperamos que até a data do ato, passados mais de 15 dias, o secretário solucione o problema. Os professores que participarão do ato não estão recebendo o correspondente à titulação, progressão vertical, equivalência salarial de 70% do nível superior, automaticidade de triênio e férias dos pedagogos”, afirma Joel de Almeida, presidente do SINTESE.. Na assembléia, os professores irão discutir e aprovar o Plano de Lutas para 2005, que tem como eixo central a garantia dos direitos assegurados ao magistério público sergipano. “Nós, trabalhadores em educação precisamos estar unidos e organizados para barrarmos as tentativas de retirada de nossos direitos. A disposição para a luta é importante para exigirmos respeito aos direitos conquistados e a ampliação deles”, declara Joel. O SINTESE também convoca os educadores a acompanharem o cumprimento dos compromissos firmados com os prefeitos eleitos dos municípios sergipanos, através da Carta Compromisso, assinada por muitos deles.