CARTA ABERTA AO POVO ESTANCIANO

33

Mais uma vez, nós professores e servidores internos nos dirigimos ao povo estanciano, especialmente aos pais e alunos da rede municipal, para pedirmos apoio neste momento difícil que estamos passando. Desde 1995 nós sofremos com atrasos salariais, inclusive deixamos de receber em 1996 quatro meses de salário e 13º referente a dois anos. Entramos com ação judicial e até agora nada. Acreditando na fama de bom administrador e na promessa feita por Ivan Leite de que respeitaria os direitos conquistados pelos professores e servidores internos, muitos de nós votamos nele, sonhando em receber salário digno e em dia. Para surpresa de todos, Ivan Leite baixou um decreto cortando os nossos salários e tornando sem efeito os PCRs – Plano de Carreira e Remuneração, que conquistamos após vários anos de luta. No dia em que o banco efetuou o pagamento, muitos servidores choraram, passaram mal e entraram em desespero. Eles não queriam acreditar no que estava acontecendo. Era o fim de um sonho por uma vida mais digna. Como era de se esperar, professores e servidores internos reagiram e realizaram uma grande manifestação na tentativa de sensibilizar o prefeito, que tem tratado a questão com a frieza dos números. O que justifica Ivan Leite receber um salário maior do que o de Marcelo Déda, prefeito de Aracaju ? Estamos sabendo que ele pretende dar um aumento de 100 % para os cargos comissionados que entraram na sua administração. Estamos de olho. Infelizmente, caso Ivan Leite não devolva o nosso dinheiro, que cortou de forma arbitrária, vamos entrar em greve. Estância, fevereiro de 2005 SINTESE / SINDISEME