SINTESE reprova sistema de avaliação imposto pelo governo do Estado

24
avaliacao_1_6_11

No nono dia de greve os professores da rede estadual realizam oavaliacao_1_6_11 primeiro estudo público sobre o modelo de avaliação de desempenho que a Secretaria de Estado da Educação está apresentando nas escolas estaduais para os professores.

O documento do índice-guia transpõe conceitos e preceitos utilizados nas fábricas para as escolas. Questões comportamentais dos professores, incentivo o assédio moral e desconhecimento da atual situação das escolas da rede estadual permeiam o índice-guia.

O SINTESE compreende que a avaliação é necessária, mas que o sistema educacional seja avaliado e não da forma como está sendo apresentada. O sindicato acredita que a avaliação deve ser utilizada como forma de reflexão do processo e da política educacional  “O modelo que a Secretaria de Estado da Educação quer implantar nas escolas visa de forma clara, criminalizar os professores além de desconsiderar as atuais condições das unidades de ensino”, disse o diretor do departamento de Base Estadual do SINTESE.

Veja a Cartilha sobre Avaliação de Desempenho produzida em 2006

 

“Se as escolas estão caindo aos pedaços, não temos laboratório de informática, de Física, Química, Biologia, não há espaço para esportes, como podemos avaliar os alunos. Pois a estrutura das escolas influi diretamente na forma como os alunos são avaliados”, afirmou o professor Paulo Fernandes.

Projeto

Amanhã às 8h os professores da rede estadual ocupam as galerias da Assembleia Legislativa. No final da tarde os educadores tomaram conhecimento que o projeto de reajuste será apresentado aos deputados.

Os professores da rede estadual foram surpreendidos com a publicação de um decreto do governador João Alves Filho, que impõe o Sistema de Avaliação Periódica de Desempenho – SAPED – para o magistério. O decreto regulamenta a Lei nº 5.383, que institui o SAPED, e foi aprovada ano passado, sem discussão com os professores. A Secretaria de Estado de Educação – SEED – já preparou o calendário de realização da avaliação para iniciar segunda-feira, dia 16, mas os professores não foram informados e desconhecem os objetivos desta avaliação. Uma comissão do SINTESE reuniu-se na quinta-feira, 12, com representantes do Departamento de Recursos Humanos – DRH – da SEED para solicitar a suspensão da avaliação. A intenção do sindicato é analisar e discutir com os professores essa decisão do Governo do Estado. O SINTESE não teve resposta ao pedido e esclarece o seguinte aos educadores: Os Professores foram excluídos O Governo do Estado enviou a Lei nº 5.383/04 para a Assembléia Legislativa e os professores não foram chamados para discutir o conteúdo. Da mesma forma autoritária, elaborou o decreto que define os critérios da avaliação periódica e publicou às vésperas de aplicar o questionário. Os professores foram excluídos dessas decisões e sequer foram informados de que participariam de uma avaliação. Gratificação de Desempenho A campanha salarial do magistério estadual está ocupando as ruas, conquistando outras categorias, a sociedade sergipana e incomodando o governo. No momento em que os professores reivindicam 35,2% de reposição salarial, o governo do Estado institui a Gratificação Variável de Desempenho – GRAVAD -, com o argumento de estar valorizando o professor. O magistério não será valorizado com uma gratificação que é fruto de uma avaliação equivocada e estimula a disputa entre colegas, prejudicando o trabalho pedagógico desenvolvido na escola. O governo está priorizando a GRAVAD, enquanto nega o direito às gratificações mais antigasconquistadas pelo magistério, a exemplo da Interiorização e Autoqualificação. Desempenho do docente O plano de trabalho dos professores não tem valor dentro da avaliação no item ‘desempenho do docente’. O governo submete o professor à avaliação de seus colegas, do diretor, dos alunos e desconsidera o plano de trabalho do educador. Segundo a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, o plano de trabalho deve ser elaborado pelo professor, de acordo com a proposta pedagógica da escola, que também não é considerada pelo sistema de avaliação periódica do governo João Alves Filho. Avaliação periódica O conceito de avaliação apresentado pelo governo no decreto está equivocado. O SINTESE considera a avaliação como um processo, uma ação que tem continuidade, e não uma prática momentânea, periódica, como o Governo quer fazer. Além disso, se a lei institui um sistema de avaliação, deve abranger não apenas professores, diretores e alunos, mas também a estrutura administrativa, avaliando a SEED e as DRE´s. No entanto, estas partes do sistema não serão avaliadas. É este tipo de avaliação que o Governo do Estado está impondo ao magistério, com o objetivo de culpar os educadores pelo fracasso do ensino público em Sergipe. Por isso, professor, o momento é de resistência, lute em legítima defesa! Somos muitos. Somos fortes!