SINTESE considera humilhante o reajuste de 4%

36

Os professores da rede estadual estão revoltados com o reajuste salarial de 4%, anunciado pelo governador João Alves na terça-feira, dia 14. O SINTESE considera este percentual como uma forma de o Governo do Estado humilhar o magistério. Além de ser um reajuste insignificante, é o menor entre os percentuais concedidos aos demais servidores públicos estaduais. O SINTESE solicitou uma reunião, na semana passada, com o secretário de Estado da Educação para discutir a pauta de reivindicações dos professores, mas até o momento não teve resposta. “O governador João Alves demonstrou, mais uma vez, que não tem prioridade com a educação, bem como desrespeita os professores. Sua política é de valorizar os cargos comissionados e de perseguir de todas as formas os educadores que estão em sala de aula”, afirma o professor Joel de Almeida, presidente do SINTESE. A pauta de reivindicações foi entregue ao governo no mês de abril. Os professores da rede estadual reivindicam o percentual de reposição salarial de 35,2% e a regulamentação de direitos previstos no Plano de Carreira e Remuneração do Magistério – Lei nº 61/2001 -, como a gestão democrática nas escolas. O magistério cobra também do governo a devolução do valor que foi retirado de seus salários, através do redutor salarial, e a elaboração do Plano Estadual de Educação, com participação dos educadores.