Magistério de Salgado paralisa suas atividades na terça

40

Os professores da rede municipal de ensino de Salgado continuam em campanha salarial. Insatisfeitos com a demora nas negociações, o magistério vai paralisar suas atividades em sala de aula na terça-feira, 20. Neste dia, haverá passeata pelas ruas da cidade seguindo até a sede da prefeitura e, às 19 horas, os professores estarão em frente à Câmara Municipal, durante a sessão, para pedirem o apoio dos vereadores. A data-base para o reajuste salarial do magistério é 1° de maio, mas a administração do município está adiando o fim das negociações, que já se arrastam por quatro meses. A prefeita Janete Alves Lima Barbosa não demonstra interesse em atender as reivindicações dos educadores, que estão mobilizados para cobrar uma resposta positiva e imediata da administração. Além da paralisação, os professores irão distribuir panfletos na feira, informando à população de Salgado a situação do magistério no município. Na quinta, 22, haverá uma assembléia da categoria. Representantes do SINTESE no município já estiveram em várias reuniões com a prefeita e o secretário de educação. Em algumas delas, os professores de Salgado apresentaram proposta de reajuste salarial baseada no estudo da folha de pagamento da secretaria de educação, realizado pelo SINTESE. A última reunião aconteceu na quinta-feira, 15, quando a prefeita argumentou que não tem condições de aumentar o salário dos educadores por causa do limite da Lei de Responsabilidade Fiscal – LRF. Sobras do Fundef O piso salarial do magistério de Salgado é R$ 215,00. Pagando esse piso, a prefeitura não utiliza o mínimo de 60% dos recursos do Fundef para o pagamento dos salários dos professores do ensino fundamental, como manda a lei. “Nossa proposta de aumento é para R$ 265,00, atingindo 63,5% da receita do Fundef e ficando dentro da lei. O secretário de educação admite que existe sobra de recursos do Fundef, mas não dá o aumento. E onde estão sendo gastos os recursos que sobram?”, questiona o professor Ginaldo dos Santos, da coordenação da sub-sede regional do SINTESE no centro-sul. Ginaldo acrescenta que muitos parentes da prefeita Janete têm cargo em comissão na prefeitura. Somente este ano, o município de Salgado recebeu R$ 2.481.642,12 de recursos do Fundef. No mês de agosto, a verba foi de R$ 296.603,80. Este mês, a primeira parcela chegou ao município no valor de R$ 140.333,93 e as outras duas chegarão até o dia 30. “Esperamos que a administração municipal nos dê uma resposta o mais rápido possível sobre nossa proposta de reajuste salarial. Esperamos também que os recursos do Fundef que sobram em Salgado sejam destinados ao aumento dos salários dos educadores”, declara Ginaldo. O professor cobra ainda melhores condições de trabalho, denunciando que o transporte dos professores que dão aulas nos povoados está em péssimo estado. Além disso, os conselhos da merenda escolar e do Fundef não funcionam para fiscalizar a aplicação dos recursos que chegam no município.