Prefeito desrespeita MP, ignora juiz e persegue professor

15

O prefeito de São Cristóvão, José Correia Santos Neto, o Zezinho da Everest, cortou 40% do décimo terceiro salário do professor Morgan Prado de Menezes, diretor para Assuntos das Bases Municipais do SINTESE. O prefeito de São Cristóvão, José Correia Santos Neto, o Zezinho da Everest, cortou 40% do décimo terceiro salário do professor Morgan Prado de Menezes, diretor para Assuntos das Bases Municipais do SINTESE. Morgan está de licença remunerada das atividades de sala de aula, autorizada por liminar. Para perseguir o dirigente sindical, o prefeito ignora a decisão do juiz e do Ministério Público de Sergipe.

No ano passado, uma comissão do SINTESE encaminhou ao Ministério Público denúncias de irregularidades na aplicação dos recursos da educação no município de São Cristóvão. Em agosto do ano passado, o juiz Manoel Costa Neto, da comarca do município, concedeu liminar nomeando os professores Morgan Prado Menezes e Patrícia Tavares da Cruz para integrarem uma comissão de investigação. A liminar autoriza a licença dos professores das atividades de sala de aula até o final da investigação, sem prejuízo de remuneração.

Negação de direitos

“O que está acontecendo é perseguição política porque, como representante do SINTESE, faço denúncias públicas da atual administração, que vem negando direitos conquistados pelos educadores”, justifica o professor. Morgan acrescenta que vai continuar denunciando até que o prefeito respeite os direitos garantidos pelo plano de carreira e estatuto do magistério. O SINTESE vai entrar com mandado de segurança para a prefeitura devolver o valor descontado do salário do professor Morgan e garantir o pagamento integral nos próximos meses.

Na lista das denúncias recentes, feitas pelo SINTESE, estão o atraso no pagamento dos salários do magistério, falta de prestação de contas dos recursos do Fundef e da merenda escolar, uso dos recursos da educação para pagamento de funcionários de outras secretarias e abandono das escolas.