Professora apresenta estudo sobre os aposentados do SINTESE

37

A necessidade de se compreender a problemática e os desafios para os aposentados que atuam na luta sindical, foi o tema central da reunião que precedeu o ensaio do Coral do SINTESE, ontem (8) no Centro de Formação do sindicato. A necessidade de se compreender a problemática e os desafios para os aposentados que atuam na luta sindical, foi o tema central da reunião que precedeu o ensaio do Coral do SINTESE, ontem (8) no Centro de Formação do sindicato.

Numa tarde diferente, o ensaio do grupo abriu espaço para a apresentação do estudo da Professora Rosângela Marques Silva, do Departamento de Serviço Social da UFS, e membro do Núcleo de Pesquisas sobre Mulher e Relações de Gênero – NEPIMG/UFS. A pesquisa teve como foco a relação de gênero e o processo de envelhecimento dos professores do SINTESE.

“A escolha do sindicato como objeto desse estudo é devida à sua força e expressão como representação dos educadores no estado”, explica a professora.

Composto em sua maioria por mulheres, o quadro de filiados aposentados do SINTESE é exemplo do momento atual de uma sociedade onde a quebra de preconceitos fez da mulher trabalhadora uma figura atuante no dia-a-dia da luta sindical. “Ao longo da história, a descoberta dos direitos da mulher desencadeia um trabalho de sua mobilização para a vida pública e para o exercício de uma vontade política, de decisão do seu próprio destino”, diz a pesquisadora em um artigo elaborado a partir do estudo.

A preparação da pesquisa teve início em 2002, durante a Assembléia dos Professores Aposentados do SINTESE. Na ocasião, a professora conseguiu 15 voluntários para colaborar com uma série de entrevistas que tentaria traçar um panorama sócio-cultural dos aposentados que atuam na luta sindical, balizado em questões como discriminação no espaço sindical e os aspectos negativos e positivos da velhice.

Como resultado do estudo, a pesquisadora reforça a necessidade de se realizar um diagnóstico completo sobre o perfil dos aposentados filiados, para saber quem são e o que esperam. “Com esse perfil social, o SINTESE poderá ser um aliado dos professores também nessa fase da vida, fazendo com que a problemática desse grupo se transforme em reivindicações coletivas para toda a sociedade”, enfatiza.