78% dos trabalhadores fazem hora extra

38

A CUT divulgou nesta quinta-feira uma pesquisa que aponta que 77,8% dos trabalhadores brasileiros fa-zem hora extra.

A CUT divulgou nesta quinta-feira uma pesquisa que aponta que 77,8% dos trabalhadores brasileiros fa-zem hora extra. Dos entrevistados, apenas 21% não trabalham acima da carga horária contratada, 36,4% fa-zem às vezes horas extras, 22,1% declararam raramente fazer, 19,3% afirmaram realizar freqüentemente e 1,2% não souberam responder. E um item interessante: 18,7% disseram que já foram ameaçados ou punidos por se recusarem a fazer hora extra.

Sobre as razões que os levavam a realizar uma jornada acima contratada, 45,3% dos pesquisados disse-ram que fazer horas extras proporciona complementação essencial da renda mensal; 23,4% afirmaram que faziam para demonstrar um comprometimento com a empresa; 14,6% declararam que realizavam para com-plementar a renda para compra de bens; 9,8%, para complementar a renda para atividades de lazer e cultura; 2,4%, para ficar bem com os colegas e 2,4% deram outras razões.

A pesquisa foi elaborada pelo Dieese e usou como metodologia a aplicação de questionários entregues di-retamente aos trabalhadores em todas as regiões do país, nos ramos químico, transporte, vestuário, metalúrgi-co e de comércio e serviços. Três mil trabalhadores de cinco mil consultados responderam às questões. A análi-se dos dados é preliminar e será concluída até junho.

Estudo mostra efeitos da redução da jornada
A redução da jornada de trabalho de 44 para 40 ho-ras semanais e a limitação das horas extras significariam 2,8 milhões de novos empregos no país, indica estudo feito pelo Dieese a pedido da CUT.

“Com o crescimento da produção, em vez de contratar, as empresas aumentam a carga dos trabalhadores. Se as horas extras forem limitadas, novos postos serão criados”. O projeto de limitar as horas extras será envi-ado pelas centrais sindicais ao Congresso Nacional. Atualmente, só há limitação diária, de duas horas, mas a idéia é criar além da limitação existente, mais duas: mensal (de 30 horas) e semestral (110 horas). A proposta foi aprovada em reunião da Executiva Nacional da CUT e será discutida com outras centrais.

A outra pesquisa realizada pela CUT mostra que 45% dos trabalhadores considera a hora extra como uma forma de complementação de renda essencial. Eles estão insatisfeitos com o que recebem por ela hoje, 52,4% dizem que a bonificação deveria ser maior e 67,3% reclamam do ritmo de trabalho.

Campanha pelos aposentados
Terminou sem resultados práticos a reunião de quinta-feira entre as centrais sindicais para definir estratégias para a campanha pela valorização dos vencimentos de aposentados e pensionistas. Os sindicalistas apenas ratificaram a mobilização que já havia sido programada para o próximo dia 23 na capital paulista, e definiram o nome do bloco carnavalesco organizado pelas centrais para o protesto: Quero o que é meu!.

A data para uma mobilização nacional unificada pela reivindicação, que seria definida nesta sexta, ainda está em aberto. A Força Sindical já tem um calendário próprio: reunirá trabalhadores em ato no dia 9 de mar-ço, em Curitiba. A Cobap (Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas), que participa da campanha mas não compareceu à reunião desta quinta, também já programou manifestação em Brasília para 8 de março.

Também integram a mobilização outras centrais sindicais, como a CUT e a CGT. Os sindicalistas pedem um reajuste para os aposentados semelhante ao concedido ao salário mínimo (16,67%), medidas para redução do valor de medicamentos e implementação de transporte gratuito para idosos.

Funcionários do BC pararam
Os funcionários do Banco Central (BC) decidiram em assembléia fazer greve de 48 horas e pararam na quarta e na quinta-feira. Eles alegam que o governo não cumpriu o acordo assinado no fim de outubro passado, que previa reajuste salarial de 6% este mês e mais 4% em junho. O BC argumenta, por outro lado, que os reajustes ainda dependem de aprovação do Orçamento no Congresso.

Na semana passada, os empregados do BC fizeram paralisação de advertência por 24 horas. Por enquanto, eles não pretendem fazer greve por tempo indeterminado, mas não descartam outras paralisações temporárias.

Brasil tem 6,5 milhões morando em favelas
Uma pesquisa do IBGE divulgada durante a semana apontou que existem 6 milhões e 500 mil brasileiros e brasileiras vivendo em favelas. O número cresceu 39% ao longo da década de 1990. Mais da metade da população das favelas está concentrada nos estados de São Paulo e do Rio de Janeiro. O maior crescimento foi registrado em Brasília, onde a quantidade de pessoas que vivem em moradias precárias aumentou cinco vezes.

Acampamento sem-teto inaugura biblioteca
O acampamento Chico Mendes, do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), em Taboão da Serra (São Paulo) inaugurou uma biblioteca com cerca de 300 livros no ultimo domingo (12/02). O Movimento Hip Hop da região e a Editora Expressão Popular doaram parte do acervo, coletado também com amigos do movimento e parentes dos acampados. A biblioteca foi chamada de Chico Mendes e faz parte de um projeto ainda mais amplo de formação das 860 famílias do acampamento.

“O ato de domingo demonstra que a nossa luta não é apenas por moradia, mas é também acesso ao co-nhecimento, formação, construção de novas relações e modos de vida”. Além da biblioteca, o acampamento realiza outras atividades formativas como cursos para a coordenação do acampamento e a frente de áudio-visual para todos os acampados e acampadas.

Avós encontram o 82° neto desaparecido
A “Associação das Avós da Praça de Maio” anunciou, nes-ta semana, que encontrou o 82° neto desaparecido durante a ditadura militar na Argentina. O rapaz, filho de militantes políticos presos, se chama Sebastián, mas seus pais desejavam chamá-lo de José. Ele é filho de Gas-par Onofre Casado e Adriana Leonor Tasca, ambos estudantes de direito na Universidade Nacional de La Plata, sequestrados em dezembro de 1977, quando tinham 22 anos.

No último dia 10, Sebastián soube que era filho de desaparecidos políticos, que tem três dos seus quatro avós vivos, que pertence a uma família cheia de tios, primos e sobrinhos, e que, há 28 anos, estão buscando por ele. Seus pais, Gaspar e Adriana, continuam desaparecidos.

Tropas dos EUA desembarcam na Republica Dominicana
Mais de 800 soldados estadunidenses, de um contingente de milhares que chegarão em vários grupos até completar o número de 14 mil soldados, desembarcaram no início da semana na cidade de Barahona, na região sul do país.

Depois do golpe de Estado coordenado pelo governo Bush contra o presidente Aristides, no Haiti, e legali-zada a intervenção da ONU, Bush começou da fazer discursos dizendo que República Dominicana e no Haiti o que existem são estados falidos e seria necessário “inaugurar um estado mais sólido e eficiente na região”.

República Dominicana exige saída das tropas estadunidenses
O repúdio à presença de soldados estadunidenses no território dominicano e a exigência da sua retirada imediata mobilizou milhares de pessoas nesta terça-feira. A manifestação foi coordenada 23 organizações políticas, sociais, sindicais e estudantis.

A marcha de protesto terminou diante da embaixada dos EUA, apesar da chuva forte, e as organizações encaminharam um documento aos representantes de Washington onde qualificam de inadmissível a presença das tropas. O manifesto é assinado, entre outras entidades, pela Unión Patriótica, Liga Socialista de los Traba-jadores, Partido Nueva Alternativa, Fuerza de los Trabajadores, Movimiento Popular Dominicano, Partido Comu-nista Marxista Leninista, Proyecto Partido Socialista, Frente Estudiantil Flavio Suero, Partido de los Trabajadores Dominicanos ML, Consejo de Unidad Popular, Confederación Nacional de Mujeres Campesinas, Asociación Ame-ricana de Juristas, Colectivo Organizaciones Populares e Campaña Dominicana de Solidaridad con Cuba.

René Preval, presidente do Haití
O Conselho Eleitoral Provisório declarou René Preval, do Partido da Esperança, como novo presidente eleito do Haiti, com mais de 51% dos votos. O comunicado foi feito na ma-drugada de quinta-feira, depois de manifestações de apoio ao candidato feitas em todo o país.

O próprio Preval havia denunciado a fraude no processo e os interesses dos EUA em impedir sua vitória. Ele tinha declarado seu apoio ao ex-presidente Aristides, deposto pelas maquinações de Bush.

Um canal de TV local – Telemax – divulgou imagens de urnas cheias de cédulas que foram jogadas no lixo e as imagens mostram que os votos eram quase todos para Preval.

ONU pede fim da prisão de Guantánamo
O relatório da ONU sobre os presos na Baía de Guantána-mo concluiu que o tratamento dado pelos EUA viola seus direitos à saúde física e mental e que constitui tortura. O relatório pede também que os Estados Unidos fechem a prisão militar em Cuba e levem os detidos a julga-mento em território americano.

O relatório foi feito por cinco enviados especiais que entrevistaram funcionários do governo americano, ex-prisioneiros e advogados dos presos, durante um ano e meio de uma investigação ordenada pela Comissão de Direitos Humanos da ONU. Mais de 500 pessoas capturadas pelos EUA no exterior como “combatentes inimigos” estão presos em Guantánamo.

Gripe aviária chegou à Alemanha
Dois cisnes mortos no norte da Alemanha resultaram positivo nos testes para identificar o tipo mortal H5N1 da gripe aviária, informou o governo alemão. Os testes ainda têm de passar por contraprova no Reino Unido. Se confirmados, serão os primeiros casos desse tipo de gripe aviária no país. A Áustria já havia confirmado dois casos. Vários países europeus estão adotando uma norma para tentar limitar o avanço da doença.

Importante fonte de consulta
As “Comisiones Obreras” – CCOO, central sindical espanhola, está lan-çando um trabalho muito importante para o movimento sindical. Através de sua página na internet, está dispo-nibilizando dados e informações sobre riscos para a saúde e meio ambiente causados por mais de 5.500 subs-tâncias químicas.

A base de dados traz informações sobre como agir para prevenir os riscos específicos de substâncias quí-micas e traz também algumas normas já estabelecidas sobre o tema. O documento foi desenvolvido pelo Insti-tuto Sindical do Trabalho, Ambiente e Saúde (ISTAS), mantido pelas CCOO e é o primeiro trabalho deste tipo em idioma espanhol.

Segundo estudos realizados no âmbito da União Européia, as substâncias químicas causam cerca de 32.500 mortes por câncer, anualmente, e estima-se que uma em cada três doenças profissionais é provocada por exposição a substância química. O trabalho é parte do projeto “Ecoinformas” (www.ecoinformas.com).

Volks também vai demitir
Depois das outras grandes montadoras de automóveis, agora foi a vez da Volkswagen anunciar que também vai demitir em massa. A empresa lucrou 1,2 bilhão de euros, no ano passa-do, mas pretende dispensar 20.000 empregados nos próximos três anos para aumentar a rentabilidade.

O presidente do grupo Volkswagen, Bernd Pischetsrieder, reclamou que a empresa tem registrado perdas com a queda nas exportações para os EUA.

Milhares contra a flexibilização trabalhista
Cerca de 40 mil pessoas protestaram nesta quarta-feira na cidade francesa de Estrasburgo contra a chamada “diretiva Bolkestein” de liberalização do mercado de tra-balho. A manifestação foi convocada pela Confederação Européia de Sindicatos e a “diretiva” é uma proposta para que, qualquer país dentro do bloco, possa se estabelecer em outro país sem precisar ser regida pela sua legislação. Na França e em outros países, as centrais sindicais dizem que a iniciativa vai criar um caos no mer-cado de trabalho.

Apenas uma teoria
O comissário europeu para a energia, Andris Piebalgs, admitiu no Parlamento Eu-ropeu que a UE não tem planos para enfrentar um aumento rápido dos preços do petróleo e do gás natural. Ao responder a uma parlamentar britânica, ele encolheu os ombros e disse: “o chamado cenário do Pico Petrolífero é apenas uma teoria”.

A deputada britânica lamentou a resposta dizendo que “um número cada vez maior de cientistas e peritos em energia adverte que o declínio da produção petrolífera, a avaliação pública exagerada das reservas de pe-tróleo e a rápida expansão da procura na China e na Índia significa que o Pico Petrolífero (Peak Oil) (ponto má-ximo de produção) ocorrerá mais cedo do que é sugerido publicamente. Alguns argumentam que já ultrapas-samos o Pico Petrolífero, apontando para os preços em ascensão rápida e o fato de as descobertas de novos campos de petróleo verificarem-se a um ritmo mais lento do que o crescimento da procura".

A notícia está em http://www.carolinelucasmep.org.uk/news/PeakOil_090206.htm

Suécia quer “abandonar” o petróleo
No momento que os EUA e a União Européia falam em ampliar o uso de biocombustíveis, a Suécia reafirmou um objetivo ambicioso: acabar com a dependência do petróleo até 2020. Analistas acham a meta difícil de ser atingida, especialmente no transporte, mas acreditam numa substancial redução do consumo.

Em janeiro, o presidente George Bush surpreendeu ao dizer que os EUA estão viciados em petróleo importado e que vai estimular o uso de combustíveis alternativos. Na semana passada, a UE anunciou uma série de medidas para favorecer o setor de biocombustíveis. Mas na terça a Suécia confirmou a iniciativa mais radical, ao propor abandonar o petróleo como matriz energética em menos de 15 anos.

Déficit comercial americano bate recorde
O déficit na balança comercial dos EUA atingiu o recorde de US$ 725,8 bilhões em 2005, principalmente por causa das importações de petróleo, alimentos, carros e ou-tros bens de consumo. Segundo o Departamento de Comércio dos EUA, o aumento do déficit foi de 17,5% em relação ao déficit anterior, de 2004. Foi o quarto ano consecutivo em que a balança de comércio americano com outros países ficou no vermelho. O déficit com a China atingiu US$ 201,6 bilhões no ano passado, maior já registrado pelos EUA com um outro país.

Ela quer “democratizar” o Irã
A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, pediu ao Con-gresso US$ 75 milhões extras para o Orçamento deste ano para o que chamou de “esforços para construir uma democracia” no Irã. Segundo ela, os EUA precisam apoiar iranianos que aspiram por liberdades inexistentes sob o atual “regime radical” no país.

O dinheiro seria destinado à expansão de programas de rádio e TV por satélite e para programas de ajuda a iranianos que estudam no exterior. A secretária afirmou que os EUA estão trabalhando com ONGs para de-senvolver uma rede de apoio para dissidentes políticos e ativistas de direitos humanos, além de financiar pro-gramas para treinar ativistas.

Ela faz propaganda contra Chávez
A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, convocou ontem a comunidade internacional a criar uma “frente unida” contra o presidente da Venezuela, Hugo Chávez. Ela afirmou que ele representa “um perigo para a região” por sua relação com Fidel Castro. Ela disse ter ligado para os chanceleres de Brasil, Espanha e Áustria para “dizer que precisam prestar atenção ao que está ocor-rendo na Venezuela”. As declarações foram feitas na Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Repre-sentantes dos EUA.

Mais de 300.000 terroristas! Não é para rir…
Segundo o jornal The Washington Post, os serviços de espionagem dos EUA têm uma lista de suspeitos de terrorismo que ultrapassa 300.000 pessoas “etiquetadas” no mundo.

A lista foi elaborada pelo Centro Nacional de Contraterrorismo (NCTC, em inglês) e envolve 325.000 cida-dãos, considerados “suspeitos de terrorismo” ou de “ajudar em atividades terroristas”. E é curioso notar que esta matéria é divulgada quando a Casa Branca começa a ser acusada de espionar o cidadão estadunidense e que Bush havia autorizado a escuta ilegal de telefones.

Mais fotos da barbárie
Um canal de televisão da Austrália transmitiu, no início da semana, cenas inéditas e mais cruéis de violações e abusos físicos cometidos por soldados estadunidenses contra prisioneiros iraquianos na prisão de Abu Ghraib.

O programa “Dateline”, produzido pela cadeia de TV Special Broadcasting Service, destacou que as fotos agora publicadas também foram feitas em maio de 2004, na mesma época das outras que desataram uma on-da de protestos no mundo. As novas imagens mostram torturas, violações, humilhações sexuais e assassinatos praticados por soldados estadunidenses. Em algumas fotos podem ser vistos os prisioneiros ainda cobertos de sangue, amarrados e encapuzados.

Soldados ingleses voltam com problemas psiquiátricos
Ao menos 1.333 militares britânicos, ho-mens e mulheres, regressaram do Iraque sofrendo de graves problemas psiquiátricos e a maioria deles não está recebendo tratamento adequado ou qualquer tipo de tratamento.

O jornal The Independent, britânico, anunciou que tem uma lista com os nomes dos militares e entrevistou alguns. O soldado Anthony Bradshaw, de 22 anos, disse que tem pesadelos, não consegue dormir, e tem ata-ques de pânico que o impedem de assistir as aulas na universidade. O médico receitou tratamento contra o estresse e indicou sua baixa de serviço depois de uma única consulta. Segundo o jornal, 167 desses soldados se tornaram dependentes de drogas.

Resistência está crescendo
Um relatório da ONG International Crisis Group (IGC) mostrou que a re-sistência iraquiana está cada vez mais organizada e coordenada, ao contrário do que dizem os Estados Unidos. Segundo o estudo da organização, com sede em Bruxelas, a imagem de guerrilha dividida sugerida pelo gover-no americano está ultrapassada.
A divisão entre os muçulmanos fundamentalistas, seguidores de Abu Musab Al-Zarqawi, líder da Al Qaeda no Iraque, e os sunitas partidários do ex-ditador Saddam Hussein, parece ter dado lugar ao objetivo comum de forçar a retirada das forças de coalizão, liderada pelos EUA. Os diversos grupos de rebeldes iraquianos estão adotando métodos de ação cada vez mais parecidos, conquistando coordenação e confiança, de acordo com o relatório.