Magistério de Glória pressiona administração municipal

19

O prefeito não quer negociar direitos dos professores e SINTESE alerta para possíveis irregularidades no uso dos recursos da educação Como se não bastassem três anos sem reajuste salarial, os professores do município de Nossa Senhora da Glória ainda enfrentam graves problemas com a atual administração. No ano passado, O SINTESE esteve em várias audiências com o prefeito José Israel Andrade e o secretário municipal de Educação, Abraão Lyncoln, mas não houve interesse em negociar com o sindicato.

Essa situação está causando prejuízos ao magistério e os representantes do SINTESE alertam para possíveis irregularidades no uso dos recursos da educação. Diante do descaso da administração municipal, os professores decidiram, em assembléia, acionar o Ministério Público do Estado de Sergipe para fiscalizar a aplicação do dinheiro do Fundef no município de Nossa Senhora da Glória.

Os educadores realizaram também, no último dia 16, uma passeata pelas principais ruas da cidade, com a participação de alunos e pessoas da comunidade. A manifestação aconteceu em protesto ao tratamento desrespeitoso que o prefeito tem dispensado ao magistério e à educação do município. Pressionado pelos professores, José Israel decidiu receber a coordenação do SINTESE em audiência. Os representantes do sindicato apresentaram um relatório com os problemas que atingem a educação e aguardam a próxima audiência com o prefeito.