Educadores são vítimas da violência no Conjunto Jardim

48

Ação de marginais prejudica atividades escolares e situação financeira do professor A violência nas escolas de Sergipe assusta cada dia mais professores e alunos. Na Escola Estadual Professora Júlia Teles, localizada no Conjunto Jardim, município de Nossa Senhora do Socorro, as atividades escolares são prejudicadas pela ação de marginais. Os educadores denunciam a violência desde o ano passado e pedem segurança para realizarem seu trabalho na unidade de ensino.

Furtos de acessórios dos veículos, arrombamento, destruição de pára-brisa, esvaziamento de pneus e até seqüestro-relâmpago se transformaram em fatos do cotidiano dos professores. Os alunos não podem mais assistir às aulas de educação física na quadra porque os marginais invadem o espaço construído para a prática de esportes. Um dos professores da Escola Júlia Teles conta que a experiência do seqüestro-relâmpago deixou o magistério em pânico.

No ano passado, os educadores também denunciaram a violência nesta escola à Diretoria Regional de Educação – DRE 8. Logo depois apareceu policiamento, mas no começo desde ano letivo não existe um policial para fazer a segurança da unidade de ensino. Além de prejuízos físicos e psicológicos, a violência no ambiente escolar tem causado prejuízos financeiros aos professores. Cada conserto nos veículos consome uma parte considerável do salário, que não é dos melhores na rede estadual de ensino de Sergipe.