Professores estão insatisfeitos com descaso da SEED

16

Secretaria de educação apresenta dados financeiros contestáveis e faz audiência com SINTESE sem proposta para o magistério Na assembléia de hoje, 12, os professores da rede estadual de ensino demonstraram insatisfação com a demora do Governo do Estado em negociar a pauta da Campanha Salarial do Magistério. Apesar das cinco audiências ocorridas entre SINTESE e Secretaria de Estado da Educação – SEED, o governo ainda não apresentou proposta concreta sobre a pauta de reivindicações dos professores.

A comissão de negociação do SINTESE tem enfrentado o descaso do Governo do Estado quando se trata de negociar os direitos dos educadores. O secretário de Estado da Educação, Lindbergh de Lucena, tem alterado de última hora a data das audiências, que não cumprem o objetivo acordado com o sindicato. Na audiência de hoje, que seria conclusiva, o secretário deveria apresentar proposta em relação à pauta da campanha salarial do magistério, mas nem participou da reunião. A comissão do SINTESE foi informada de que talvez na quinta-feira, 20, a SEED apresente proposta.

Não dá para esperar
“Os dados de receita e despesas apresentados pela secretaria de educação são contestáveis. O Governo de Sergipe é o que menos investe no salário dos funcionários públicos na região nordeste”, afirma o professor Joel de Almeida, presidente do SINTESE. A Lei de Responsabilidade Fiscal – LRF – permite que o governo utilize de 46,55% até 49% da renda do estado para o pagamento dos salários dos servidores.

Em 2003, foram utilizados 47,5% da renda do estado para pagar aos servidores, incluindo a enxurrada de cargos comissionados que o governo criou naquele ano. O percentual caiu para 42,95%, em 2004, e para 37,34%, em 2005, ficando distante do que permite a LRF. O reajuste de 31% que os professores reivindicam ao governo atinge o limite máximo dessa lei, que é 49%. “Não dá para esperar. Chegou a hora de cobrarmos do governo salário digno, já”, ressalta o professor Joel. O presidente do SINTESE informa que o magistério estadual fará a próxima assembléia na quinta-feira, 20, às 15 horas, para analisar a proposta da SEED, caso o secretário de educação cumpra sua promessa de apresentá-la nessa mesma data.