Magistério reivindica salário digno em passeata

31

Mais de mil professores reunidos em assembléia disseram que não aceitam substituir o reajuste no salário por premiação oferecida pelo Governo do Estado O SINTESE reuniu mais de mil professores de vários municípios sergipanos na assembléia de quinta-feira, 20. A comissão de negociação do sindicato comunicou o resultado da última audiência com o secretário de Estado da Educação, Lindbergh de Lucena, e aguarda proposta de reajuste salarial na quinta-feira, 27. Ao terminar a assembléia, os professores saíram em passeata pelas ruas do centro comercial de Aracaju para mostrar que não aceitam um percentual de reajuste insignificante.

O secretário de educação esteve em audiência com o governador no dia da assembléia, pela manhã. Em seguida, chamou a comissão de negociação do SINTESE para apresentar as proposta do governo sobre a pauta de negociação da campanha salarial.

Um dos pontos mais discutidos foi o percentual de reajuste salarial. Segundo o presidente do SINTESE, professor Joel de Almeida, o secretário informou que o governador autorizou a usar o máximo que a secretaria pode pagar para o reajuste do salário do professor. “O percentual de 31%, reivindicado pelo magistério, é que alcança o limite máximo da Lei de Responsabilidade Fiscal, que é de 49%”, lembrou Joel, acrescentando que o magistério não quer substituir o reajuste no salário por qualquer premiação oferecida pelo Governo do Estado.

Paralisação nacional

A regulamentação e implantação da gestão democrática nas escolas é o único ponto da pauta de reivindicações que o governador não aceita negociar. O pagamento das gratificações do plano de carreira e o escalonamento da tabela salarial serão negociados e definidos na audiência de quinta-feira, assim como outros pontos ainda sem acordo.

A próxima assembléia do magistério será na sexta-feira, 28, às 15 horas, no Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe. Nessa assembléia, os professores irão avaliar a proposta de reajuste do governo, que será submetida à votação.

Na quarta-feira, 26, acontecerá uma paralisação nacional dos educadores e uma marcha a partir das 14 horas, com saída da praça da Bandeira. A manifestação faz parte da programação da VII Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública, que acontece de 24 a 28 deste mês, promovida pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE – em parceria com 35 entidades sindicais filiadas, incluindo o SINTESE.