Magistério enfrenta descaso com a educação no interior

31

Prefeita de Geru desconsidera plano de carreira

A prefeita do município de Tomar do Geru, Iara Soares Costa, desconsidera o plano de carreira do magistério, alegando que essa lei não seguiu o processo correto para se tornar válida e pública, oficialmente. Em outubro do ano passado, o SINTESE solicitou à prefeitura e à Câmara Municipal um documento com o procedimento administrativo do plano e estatuto para analisar, mas não teve resposta.

Segundo a assessoria jurídica do sindicato, a lei do plano é válida porque tem reconhecimento público e jurídico. Muitas ações já foram julgadas com base nessa lei, portanto está sendo posta em prática. O SINTESE já propôs mandado de segurança para resolver o impasse. Ainda este mês acontecerá uma manifestação dos professores no município.

Educadores de Indiaroba estão indignados com falsas promessas

Os professores da rede municipal de Indiaroba paralisaram suas atividades por três dias, na semana passada. O motivo foi a demora em solucionar os problemas da educação no município. No dia anterior à paralisação, o prefeito João Eduardo Araújo chamou os professores para uma reunião e fez novamente promessas para melhorar a situação do magistério. “Os educadores não acreditam mais nas promessas do prefeito. Não é a primeira vez que ele nos chama pra dizer que vai resolver nossos problemas e não faz nada”, afirma o professor Elenilton dos Santos, representante do SINTESE no município.

O prefeito recebeu a pauta de reivindicações do magistério quando assumiu o cargo, em 2005, negociou com o SINTESE, mas não cumpriu. “Se continuar assim, vamos fazer greve por tempo indeterminado”, declara a professora Dayse Souza, informando que os educadores reivindicam reajuste salarial para 2005 e 2006, o valor de 15 dias de férias de 2005 e que o prefeito retire da folha de pagamento da educação os servidores que trabalham em outras áreas da administração.