Magistério de Itaporanga vota amanhã indicativo de greve

36

Os professores da rede municipal de Itaporanga realizam, neste dia 08, assembléia geral e votam indicativo de greve. A categoria está insatisfeita com o modo da administração municipal gerenciar a Educação. Os professores da rede municipal de Itaporanga realizam, neste dia 08, assembléia geral e votam indicativo de greve. A categoria está insatisfeita com o modo da administração municipal gerenciar a Educação. “O magistério não é valorizado e isso demonstra o desrespeito com que a Educação é tratada no município”, afirmou o professor Francisco José dos Santos, do departamento de Assuntos Municipais do SINTESE – Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Sergipe no município.

Os professores estão lutando por reajuste salarial e pela a reformulação do Plano de Carreira e Remuneração do Magistério. A prefeita Maria das Graças Garcez propôs de reajuste de 9%, mas a categoria rejeitou a proposta em assembléia.

A recusa dos professores se deu a partir de estudos do SINTESE mostrando que o município utiliza somente 30% do Fundef – Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério no pagamento dos salários dos professores de 1ª à 8ª série. De acordo com a lei, a prefeitura deveria gastar no mínimo 60% destes recursos com remuneração. O município de Itaporanga D’Ajuda recebe, em média, R$ 490 mil por mês do Fundef e gasta somente R$ 160 mil com os salários dos educadores.

Os estudos do SINTESE apontaram também que existem professores contratados pela prefeitura sem habilitação para exercer o magistério, diretores de escola que recebem a gratificação de regência de classe, sem dar aula, e muitas gratificações são pagas sem critérios. Além disso, o transporte é ineficiente e os alunos têm que andar horas até chegarem às escolas.