Apoio ao MST marca segundo dia do XI Congresso

19

A solidariedade dos trabalhadores da educação de Sergipe à luta do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) também marcou o segundo dia de atividades do XI Congresso.< A solidariedade dos trabalhadores da educação de Sergipe à luta do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) também marcou o segundo dia de atividades do XI Congresso.

O compromisso do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Sergipe (SINTESE) com a causa da reforma agrária foi demonstrado logo na abertura da programação da quinta-feira (25) com a performance da companhia teatral Canudos em Movimento, composta por alunos do Colégio Estadual José de Matos Teles, do município de Japaratuba, que mostrou aos congressistas espetáculo baseado na obra “Morte e Vida Severina”, do poeta pernambucano João Cabral de Melo Neto.

Mais tarde, após a abertura oficial do segundo dia de Congresso, foram os educadores presentes que deixaram claro o seu apoio ao MST aprovando, por maioria absoluta, moção de repúdio ao governo de Sergipe pelo tratamento que tem dado aos trabalhadores rurais sem terra espalhados pelo Estado ao destruir acampamentos com a utilização de força policial.

O texto da moção lembra que “Os trabalhadores sem terra constituem uma importante parcela da população que luta por ter um lugar para produzir e garantir subsistência a suas famílias” e comunica à sociedade que “Os profissionais da educação expressam o seu mais veemente repúdio contra aqueles que não conseguem ver nos pobres nada além de objetos de uso eleitoreiro e são inimigos da reforma agrária”.