Educadores repudiam ações truculentas de administradores municipais

26

As ações truculentas e intransigentes de alguns gestores municipais foram repudiadas pelos congressistas no terceiro dia do XI Congresso. As ações truculentas e intransigentes de alguns gestores municipais foram repudiadas pelos congressistas no terceiro dia do XI Congresso.

O prefeito de Lagarto Zezé Rocha e a secretária de Educação de Canindé do São Francisco, Acácia Aguiar foram alvo de duas moções de repúdio aprovada por unanimidade. Em Lagarto o prefeito tem tomado atitudes antidemocráticas contra os professores, incluindo um pedido de ilegalidade da greve do município que já dura 74 dias. A secretária de Educação de Canindé, para impedir a mobilização dos professores, prestou queixa na polícia. “Esses administradores de plantão ainda não entenderam que vivenciamos um tempo em que é necessário o diálogo e o respeito aos direitos dos cidadãos”, diz o texto das moções.

A decisão da juíza Cléa Monteiro Schlingmann, juíza da Comarca de Itaporanga, em reconhecer o direito de greve dos servidores públicos, a partir do processo movido pela prefeitura contra o SINTESE foi motivo de uma moção de aplauso aprovada por unanimidade entre os congressistas.