Programa social reduz desigualdade

28

A queda da desigualdade social do país nos últimos anos é conseqüência direta do aumento das transferên-cias de renda do Estado para a sociedade, segundo o professor e economista Marcelo Neri, coordenador de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas (FGV). A queda da desigualdade social do país nos últimos anos é conseqüência direta do aumento das transferên-cias de renda do Estado para a sociedade, segundo o professor e economista Marcelo Neri, coordenador de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Já os aumentos reais de 9% e 13% concedidos pelo gover-no federal para o salário mínimos nos anos de 2005 e 2006, respectivamente, não provocaram redução signifi-cativa nos indicadores de pobreza e desigualdade social. Essas são duas das principais constatações da pesqui-sa “Redistribuição à Brasileira: Ingredientes Trabalhistas”, elaborada pelo Centro de Políticas Sociais da FGV. O estudo baseia-se em dados da Pesquisa Mensal de Emprego, do IBGE.

Segundo a pesquisa, entre 2002 e 2006, a participação dos 50% mais pobres no total da renda dos brasilei-ros aumentou de 9,95% para 12,2%. Paralelamente, a parcela referente aos 10% mais ricos caiu de 50,2% para 46,89%. “O ano de 2004 é especial, porque a tendência de estagnação é revertida e a renda do trabalha-dor volta a crescer, principalmente entre os mais pobres”, disse o pesquisador.

Renda cai e desemprego aumenta
A queda de 0,7% do rendimento médio dos trabalhadores das seis principais regiões metropolitanas do País em julho, ante o mês de junho, foi a primeira após cinco meses con-secutivos de alta, segundo os dados do IBGE. O recuo foi puxado pela região metropolitana de São Paulo, onde o rendimento médio caiu 2,0% em julho sobe o nível de junho.

Apesar da alta na taxa de desemprego em julho (10,7%), em relação à registrada em julho de 2005 (9,4%), a taxa média nos sete primeiros meses ficou inalterada em 2005 e 2006. Segundo o IBGE, a taxa de desem-prego média apurada nas seis principais regiões metropolitanas do País no período de janeiro a julho de 2006 foi de 10,2%, exatamente a mesma observada em igual período de 2005. Essa taxa é inferior à apurada em iguais períodos de 2004 (12,1%) e 2003 (12,3%).

Polêmica sobre a nova pesquisa
A nova pesquisa de emprego do IBGE ainda está em fase de formu-lação e já provoca polêmica. Especialistas em mercado de trabalho solicitam que a pesquisa prossiga com di-vulgação mensal, mas o objetivo do IBGE é torná-la trimestral, possivelmente a partir de 2008. A Pesquisa Mensal de Emprego (PME) é divulgada mensalmente e abrange as seis principais regiões metropolitanas do País. O objetivo é torná-la de abrangência nacional, com divulgação trimestral. Além disso, a proposta do IBGE é integrar os dados da PME aos da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD).

Em 75 anos mulheres teriam salários iguais aos do homem
Mais 75 anos serão necessários para as mulheres ganharem o mesmo que os homens, caso o mercado de trabalho continue evoluindo no ritmo de 1996 a 2005. A conclusão consta de estudo divulgado na quinta-feira pelo BNDES no boletim “Visão do Desenvolvi-mento”, do economista Antonio Marcos Ambrozio. De acordo com o estudo, “além do fato de as mulheres terem acesso limitado a cargos de chefia nas firmas, seus salários nesses postos são inferiores”.

Brasileiros manifestaram apoio a Cuba
Para declarar seu apoio ao povo cubano, centenas de pessoas têm participado do ciclo de atividades no Museu da República, no Rio de Janeiro, desde o início de agosto. Cuba vive atualmente uma ameaça de intervenção dos EUA. Ontem o ciclo terminou com a exibição de filmes latino-americanos e houve exposição de material sobre o país e uma apresentação teatral.

Foram recolhidas assinaturas para o manifesto que pede respeito à soberania de Cuba. O abaixo-assinado já conta com a adesão de quase 15 mil pessoas, entre elas oito ganhadores do Prêmio Nobel. Para assinar o mani-festo, acesse http://www.porcuba.org

Mais estrangeiros trabalhando no Brasil
Dados do Ministério do Trabalho e Emprego mostram que, entre 1998 e 2005, o número de estrangeiros no Brasil saltou de 13,8 mil para 24,1 mil, representando um crescimento de 75%. A chegada de estrangeiros ao mercado de trabalho nacional tem crescido de forma inten-sa nos últimos anos. A maior parte deles é de origem estadunidense (22,9 mil), seguida dos ingleses, alemães e franceses. Outra informação relevante refere-se ao nível profissional dos que chegam: enquanto em 1998, 646 dos estrangeiros tinham cargo de direção ou gerência, em 2005 esse número subiu para 939.

Assassinados dois coordenadores do MST
Dois integrantes da coordenação do MST de Pernambuco foram assassinados no município de Moreno, na Região Metropolitana do Recife. Segundo as informações, Josi-as Sales e Samuel Barbosa foram mortos a tiros, dentro do acampamento Alto da Balança, durante uma reuni-ão com moradores que há seis anos vivem no local. Um dos autores do crime foi identificado apenas como Cí-cero e estaria ligado a um grupo de agricultores que residia no acampamento.

Juiz manda prender sem-terra por “ameaçar paz”
O coordenador nacional do MST e líder do movi-mento em Pernambuco, Jaime Amorim, foi preso na segunda-feira, quando saía do município de Itaquitinga, a 84 quilômetros do Recife. A prisão preventiva foi decretada pelo juiz da 5ª Vara Criminal do Recife, Joaquim Pereira Lafayete Neto, por entender que em liberdade, Amorim “poderá colocar em risco a paz e a segurança de cidadãos de bem”. A base da medida preventiva é um processo que apura um protesto contra o governo Bush diante do consulado dos EUA , no bairro da Boa Vista, em novembro do ano passado. Pedras e tinta foram jo-gados no prédio.

De acordo com o juiz, houve desobediência à ordem policial, deterioração da coisa alheia e incitação ao cri-me. O juiz alegou ainda que Amorim tem antecedentes e não tem endereço fixo. Ele foi preso logo depois de participar, em Itaquitinga, do enterro de Josias Barros Ferreira, de 28 anos, uma das principais lideranças do MST no estado. O carro dirigido por Jaime foi interceptado na saída da cidade por dois carros, ocupados por cerca de sete policiais fortemente armados e à paisana.

Negado habeas-corpus
Na terça-feira, o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJ-PE) negou habeas-corpus ao coordenador nacional do MST, Jaime Amorim. O desembargador Gustavo Lima indeferiu o pedido de habeas-corpus e devolveu o processo ao juiz da 5ª Vara Criminal do Recife, Joaquim Lafayete Neto, a quem pediu mais explicações sobre o processo. Lafayete decretou a prisão preventiva de Amorim por entender que, em liberdade, ele “coloca em risco a paz e a segurança dos cidadãos de bem”.

Sem Terra são ameaçados por pistoleiros
Desde que dois trabalhadores rurais foram presos no A-campamento Juá, município de Sertânia (PE), pistoleiros armados estão constantemente rondando a área a cavalo, fazendo ameaças e intimidações aos agricultores e agricultoras. Cerca de 25 famílias vivem no acam-pamento. Apesar de acampados pacificamente e de estarem fora da fazenda, os trabalhadores vêm sofrendo constantes ameaças de morte.

Em setembro do ano passado, o MST já havia denunciado ameaças. Na ocasião, o promotor agrário de Per-nambuco comandou uma busca na propriedade que resultou na apreensão de armas na casa do administrador, que foi preso, mas liberado logo em seguida. Desde a soltura, as ameaças recomeçaram e se agravaram após a prisão dos dois trabalhadores ontem.

Trabalhadores escravos são encontrados em SP
Fiscais do Ministério do Trabalho encontraram nesta segunda-feira no interior de São Paulo cerca de 430 cortadores de cana trabalhando em condições subumanas e passando fome. Os trabalhadores estavam em canaviais de Lençóis Paulista e Pederneiras, na região de Bauru.

De acordo com a assessoria de imprensa do ministério, no município de Pederneiras, 30 lavradores traba-lhavam para a BR Prestadora de Serviço. A empresa fornecia mão-de-obra para a Usina São José, pertencente ao Grupo Zillo Lorenzetti. Eles foram encontrados em pequenos cômodos, em condições precárias de higiene, dormindo em colchonetes no chão, recebendo pagamentos abaixo do salário mínimo. Outros 400 cortadores de cana foram encontrados na Fazenda Velha, da Usina Barra Grande, que pertence ao mesmo grupo. Trabalha-vam 10 horas por dia e exerciam a atividade em total desacordo com a Norma Reguladora 31, que trata especi-ficamente da garantia dos direitos básicos dos trabalhadores rurais.

Monsanto compra de maior produtora de sementes de algodão
A Monsanto, maior empresa de sementes do mundo, anunciou na semana passada que irá comprar a Delta&Pine Land, maior produtora de sementes de algodão. Juntas, a Monsanto e a Delta&Pine Land vão controlar mais de 57% do mercado de se-mentes dos EUA. Além disso, com as subsidiárias da Delta&Pine Land em 13 países, incluindo o Brasil, a Mon-santo passa a dominar importantes espaços do comércio agrícola mundial e coloca milhões de agricultores sob pressão para aceitar as sementes de algodão transgênicas.

Sementes estéreis
A Delta & Pine Land é conhecida pelo desenvolvimento da tecnologia Terminator. Essa tecnologia permitiu a criação de plantas geneticamente modificadas que produzem sementes estéreis. Apesar da oposição em massa dos camponeses, da sociedade civil e de muitos governos, a empresa começou a comercializar esse tipo de semente transgênica na África, Ásia e América Latina. Além do algodão, o tabaco já é cultivado com os genes Terminator.

Mais de 500 organizações de todo o mundo exigem a proibição dessa tecnologia, afirmando que as sementes estéreis destruirão todas as formas de vida e culturas de milhões de pessoas que precisam guardar as semen-tes de suas colheitas para iniciar o plantio do ano seguinte. Em março de 2006, os governos reunidos no Con-vênio de Diversidade Biológica das Nações Unidas reafirmaram por unanimidade a moratória internacional con-tra os testes e a comercialização das sementes Terminator.

Volks de S. Bernardo ameaça demitir 6 mil
O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (filiado à CUT) in-formou na segunda-feira que a Volkswagen pretende implantar, o mais rápido possível, a segunda fase do Pla-no de Reestruturação da montadora. De acordo com o sindicato, a Volks poderá aumentar para 6 mil o número de demissões na unidade de São Bernardo, antes previsto para 3,6 mil. Na segunda, representantes dos traba-lhadores estiveram reunidos com a direção da montadora.

Volks ameaça deixar o Grande ABC
Pela primeira vez, a Volkswagen do Brasil admitiu a possibilidade real de encerramento das atividades da fábrica Anchieta, em São Bernardo. Em comunicado oficial, a compa-nhia alertou que, caso não haja acordo sobre o plano de reestruturação, com previsão de 3,6 mil cortes no Grande ABC, a unidade perderá novos investimentos, inviabilizando o futuro das operações em curto prazo. O Sindicato dos Metalúrgicos tomou conhecimento das medidas na reunião de segunda-feira. Caso a planta da região continue em funcionamento sem acordo, os cortes aumentarão de 3,6 mil metalúrgicos para 6,1 mil, sem pagamento de incentivos financeiros para os desligados. A produção será reduzida de 900 veículos por dia para 300 a 400 carros diários a curto prazo.

Comitê pela reestatização da Vale em Blumenau
Na segunda-feira, foi inaugurado o comitê da cam-panha pela reestatização da Companhia Vale do Rio Doce em Blumenau. Já estão em funcionamento comitês em São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Pará, Espírito Santo, Minas Gerais e Mato Grosso.
Quase dez anos depois, a privatização da maior exportadora e produtora de ferro do mundo pode ser rever-tida. Em 16 de dezembro do ano passado, o Tribunal Regional Federal (TRF) de Brasília reabriu o caso, possibi-litando a revisão do processo. Entre os réus estão a União, o BNDES e FHC. Eles são acusados de sub-valorizar a companhia na época de sua venda.

Mudanças climáticas afetam a vida dos brasileiros
(www.greenpeace.org.br) A imagem das Cataratas do Iguaçu com quedas minguadas ou completamente secas ainda está fresca na memória dos brasileiros. A diminuição no volume de água, que chegou a um décimo do normal em julho, foi provocada por uma das piores estiagens dos últimos anos no Paraná. No ano passado, a Amazônia, que detém 20% da água doce do planeta, se transformou em uma espécie de sertão, em uma das secas mais severas que já assolaram a região.

O documentário e o relatório “Mudanças do Clima, Mudanças de Vidas”, do Greenpeace, apresentam teste-munhos de vítimas do aquecimento global na Amazônia, no Nordeste, no Sul e na zona litorânea brasileira. São pessoas que viram suas casas destruídas por causa de ventos ou inundações, perderam suas lavouras e seus animais por causa de secas fora do normal ou foram afetadas por catástrofes climáticas antes desconhecidas pelos brasileiros. O relatório e o documentário mostram ainda as relações entre a destruição da maior floresta tropical do mundo, a Amazônia, e o aquecimento global, e como o desmatamento e as queimadas fazem do Brasil o quarto maior emissor de gás carbônico do planeta.

Reservas de gás para 30 anos
O Brasil pode triplicar suas reservas de gás natural caso a Petrobrás confirme as últimas descobertas. Os volumes adicionais ainda não foram declarados como reservas provadas porque não atendem às condições dos órgãos reguladores, como a existência de mercado ou de infra-estrutura de distribuição. Depois de confirmadas, garantiriam o abastecimento do País por mais de 30 anos.

Argentina retomará programa nuclear
O Ministro do Planejamento Federal, Julio De Vido, anunciou que o governo do presidente Néstor Kirchner retomará a construção da terceira usina nuclear argentina, parali-sada há um quarto de século. Além disso, declarou que a intenção do governo é também começar a construção de uma quarta usina nos próximos anos. Ele explicou que a conclusão da usina de Atucha II implicará em in-vestimentos de US$ 1,5 bilhão. O plano é que a terceira usina comece a funcionar em meados de 2009.

Brasil e Argentina: cooperação nuclear
Brasil e Argentina têm um acordo de cooperação nuclear para o uso pacífico de materiais dessa natureza. O enriquecimento de urânio e a utilização da energia nuclear são considerados direitos inalienáveis pelos dois países, ambos signatários do Tratado de Não-Proliferação Nuclear. Criada em 1991, a Abacc (Agência Brasileiro-Argentina de Contabilidade e Controle de Materiais Nucleares) é o organismo bilateral que, ao lado da Agência Internacional de Energia Atômica, verifica se os dois países estão utilizando seus materiais nucleares para fins exclusivamente pacíficos.

Renasce a energia nuclear
John Ritch, diretor-geral da World Nuclear Association, escreveu um artigo para World Energy in 2006 sobre o renascimento da energia nuclear no mundo. Segundo ele, a retomada de importância da energia nuclear já é uma realidade indubitável tanto nos países desenvolvidos quanto nos em desenvolvimento. Ritch aponta como sinal dessa retomada países como Polônia, Turquia, Indonésia e Vietnã, que estão introduzindo energia nuclear pela primeira vez. Uma ótima vantagem da energia nuclear, segundo ele, é que sua produção não emite dióxido de carbono, fazendo com que sua expansão seja essencial para uma revolução da energia limpa.

Mais de um mês sem resposta
Mais de um mês de greve de fome! Os nove indígenas argentinos, da região do Chaco, escreveram uma carta de despedida e esclarecem que ainda não tiveram respostas do gover-no. Angel Mesa, José Raimundo Sotelo, Eliseo López, Ricardo Sandoval, Inocencia Charole, Leandro Pérez, Delia Zulema Suárez, Gregoria Lopez e Egidio García, indígenas Tobas mantêm a greve de fome na sala de audiências da sede do governo da província. Eles mantêm, há vários meses, um conflito por irregularidades na entrega de terras fiscais às suas comunidades e em outros assuntos. A crise se agravou por causa da negativa das autoridades a avançar na investigação das denúncias, o que fez com que os aborígenes aprofundassem o protesto.

Mais de 500 jornalistas inscritos
Mais de 500 jornalistas tinham solicitado, até sábado, sua inscrição para dar cobertura à 14ª Cúpula do Movimento dos Países Não-Alinhados, que terá lugar de 11 a 16 de setem-bro, em Havana. Em 1979, a capital cubana foi a sede da 6ª Cúpula dos Não-Alinhados. Faltando menos de um mês para o início da nova Cúpula, espera-se a participação de delegações dos 116 estados membros.

Chávez inaugura maior hospital cardiológico infantil da América Latina
O presidente da Venezue-la, Hugo Chávez, inaugurou, em 20 de agosto, em Caracas, o Hospital Cardiológico Infantil Latino-Americano, considerada a obra social mais importante do governo no campo da saúde. Segundo fontes especializadas, o centro de saúde estará em condições de fazer, durante o primeiro ano, mais de 1440 cirurgias. A instalação terá 144 leitos de hospitalização, 33 dedicados a cuidados intensivos, quatro centros cirúrgicos, 30 consultórios e 82 quartos de residência hospitalar.

Novos médicos formados
Na última terça-feira aconteceu a cerimônia de formatura no Instituto de Ci-ências Básicas e Pré-Clínicas Victoria de Girón, em Cuba. Formaram-se mais 2.314 novos profissionais da saúde cubanos e também receberam seus diplomas 1.593 jovens de 26 países. O brasileiro Alexander Sales, o gradu-ado mais qualificado, assegurou que estes estrangeiros aplicarão os princípios adquiridos nos seis anos de es-tudo em seus países de origem e onde for necessário. Julio Arma, também graduado qualificado, ao ler o jura-mento dos diplomados, insistiu na necessidade de manter a ética da profissão em qualquer lugar do mundo e servir as pessoas mais desprotegidas do planeta.

“Diretor Especial” para vigiar Cuba e Venezuela
Bush acaba de nomear um “diretor especial” da CIA para acompanhar as questões sobre Cuba e Venezuela. A medida é semelhante a que foi tomada quando ele nomeou um diretor para informações dos países chamados “eixo do mal”. O cargo será ocupado por Jack Pa-trick Maher, agente da CIA, com experiência em ações na Colômbia e no Caribe.

O governo cubano ainda não se pronunciou sobre o assunto, mas Chávez já declarou que “seja qual for o plano de Bush, nós vamos derrotá-lo”. Hugo Chávez não perdeu tempo e já deu um apelido para o novo dire-tor: Jack Patrick Maher passa a ser “Jack, o estripador”.

Sindicatos salvadorenhos denunciam manobras
A Confederação Sindical dos Trabalhadores de El Salvador está denunciando manobras do governo para aprovar, com alterações, as Convenções 87 e 98 da OIT. Os sindicalistas acham que o governo pretende retirar direitos assegurados. A Convenção 87 é a que assegura a livre sindicalização dos trabalhadores públicos e a Convenção 98 trata da abrangência dos Contratos Coleti-vos. A central sindical denuncia que o governo está tentando introduzir mudanças nas Convenções para diminu-ir o alcance das conquistas.

Trabalhadores chilenos continuam em greve
Os trabalhadores chilenos da mina “La Escondida”, a maior mina privada do mundo, decidiram em Assembléia continuar a greve que já entrou na terceira semana. Eles reivindicam aumentos salariais e mudanças no contrato de trabalho. A decisão foi tomada em votação se-creta que avaliou a proposta patronal que oferecia 4% de reajuste, enquanto os mineiros pediam 10%. Partici-param da votação 1.906 trabalhadores. Votaram pela greve 1.868, 38 votaram a favor da proposta patronal, 9 votos foram nulos e 137 abstenções.

Feminicídio
O crescente assassinato de mulheres já é um problema alarmante na Guatemala. Só neste ano já foram assassinadas 400 mulheres guatemaltecas e a maior parte dos crimes continua impune. A Guate-mala ocupa o segundo lugar no mundo em feminicídio, com mais de 1.360 casos registrados nos últimos 5 a-nos.

Violência de gênero na Alemanha
O estudo “Condições de Vida, Segurança e Saúde da Mulher na A-lemanha” foi realizado por vários institutos e está sendo considerado o mais profundo até agora já feito no mundo. Entrevistou 10.000 mulheres em todo o país, em 2003, e procura também analisar a situação das mu-lheres imigrantes, das prostitutas, prisioneiras, etc. Os dados mais significativos da pesquisa são: 37% das mulheres maiores de 16 anos já sofreram alguma violência física; 13% foram vítimas de agressões sexuais; 25% sofreram violência física ou agressão sexual por parte do parceiro atual ou anterior; 58% sofreram algum tipo de intimidação sexual; 42% sofreram violência psíquica, como humilhação ou insultos graves.

Sindicato exige garantias da CSN, nos EUA
O sindicato que atravessou o caminho da CSN nos EUA está pronto para conversar, mas não parece disposto a aprovar os planos de expansão da empresa brasileira no mercado americano enquanto não obtiver concessões para os trabalhadores. Representantes dos Metalúrgicos Unidos (USW, na sigla em inglês) vão se reunir com executivos da CSN e da siderúrgica americana Wheeling-Pittsburgh para discutir a proposta de fusão das duas empresas nos EUA.
O sindicato representa 80% dos trabalhadores, tem duas cadeiras no conselho de administração e controla indiretamente 23% das suas ações por meio de um fundo criado para garantir as aposentadorias e o plano de saúde dos funcionários. O fundo é o maior acionista individual.

EUA, país terrorista
A investigação de um juiz federal acaba de levantar novos dados sobre os horrores da ditadura militar na Argentina e, acima de tudo, provar as ligações com os serviços de inteligência dos EUA. A matéria foi publicada pela jornalista Stella Calloni, do jornal mexicano La Jornada, e mostra que houve também o envolvimento de cubanos da chamada “máfia de Miami”.

O juiz federal Daniel Rafecas determinou as investigações sobre a prisão clandestina Automoteres Orletti e foram descobertos antigos documentos sobre o período da ditadura e a conhecida “Operação Condor”. Nesta prisão foram assassinados dois diplomatas cubanos, em 9 de agosto de 1976.

Estadunidenses não confiam em Bush
Uma nova pesquisa, realizada pela Scripps Howard/Ohio Uni-versity, demonstra que os estadunidenses não confiam no governo Bush e acreditam que os atentados de 11 de setembro estão mal esclarecidos. Veja alguns itens da pesquisa: a) 12% dos estadunidenses declara que o Pentágono não foi atingido por um avião, mas por um míssil; b) 16% declara que a queda das Torres Gêmeas não foi causada pelos aviões, mas por explosivos; c) 36% declara que a administração Bush está implicada, de uma forma ou de outra, nos atentados; d) 44% declara que Bush manipulou os atentados para fazer a guerra; e) 45% declara que os inquéritos deveriam ser reabertos.

“Enquanto eu for presidente…”
“Enquanto eu for presidente não sairemos do Iraque!” Ainda que ad-mita que a situação está complicada e que dificilmente alcançará a vitória que queria, Bush declara que as tro-pas estadunidenses continuarão no Iraque, enquanto ele for presidente. A declaração foi feita em uma coletiva com a imprensa, no dia 21 de agosto, e ele aproveitou para fazer um discurso contra o que chamou “ideologia islâmica”.

Jornalista argentina é seqüestrada por Israel
Uma jornalista correspondente no Líbano e Palestina da Rádio Associação Mães da Praça de Maio, da Argentina, foi seqüestrada pelas forças israelenses na terça-feira. Tamara Lalli foi detida por agentes do serviço secreto (MOSAD) ao meio dia em uma ponte que une a Cisjordânia a Aman.

Ela foi submetida a um interrogatório sobre sua atividade como jornalista da rádio durante seis horas. Segundo a Associação das Mães da Praça de Maio, Tamara teve que tirar todas as suas roupas durante o depoimento e ficou sob a mira de uma metralhadora, constantemente ameaçada. Segundo a jornalista, os agentes ligaram para seus familiares na Argentina para demonstrar que conheciam seus contatos e todos os seus passos. A Associação das Mães da Praça de Maio é um dos principais movimentos sociais da Argentina. Durante a ditadura militar (1976-1983), elas se tornaram um pólo de resistência na luta por direitos humanos. Mais de 30 mil pessoas desapareceram no período.

Israel seqüestra dois civis libaneses
Soldados israelenses seqüestraram dois civis libaneses nesta sexta-feira no sul do país, entre eles um médico, segundo a emissora local “A Voz do Povo”. Segundo os meios de comunicação locais, outros dois civis libaneses foram capturados na quinta-feira por militares israelenses no Sul do Líbano, mas foram postos em liberdade após serem interrogados por duas horas. As autoridades libane-sas consideram que estas capturas descumprem a resolução 1701 do Conselho de Segurança da ONU, que pôs fim a mais de 30 dias de conflito entre Hezbollah e Israel.