Educadores de Indiaroba fazem uma semana de paralisação

32

De 11 a 15 de setembro os professores da rede municipal fazem paralisação. Eles reivindicam reajuste salarial, correção nas irregularidades na folha de pagamento e transparência nos gastos da Educação. De 11 a 15 de setembro os professores da rede municipal fazem paralisação. Eles reivindicam reajuste salarial, correção nas irregularidades na folha de pagamento e transparência nos gastos da Educação. A semana de protestos começa com uma caminhada seguida de panfletagem pelas ruas da cidade. Durante a paralisação os professores realizarão também reuniões com os pais para esclarecer a situação caótica que está a educação no município.

Segundo Dayse Souza Santos, representante do SINTESE no município, diversas irregularidades são encontradas no gasto dos recursos destinados a Educação. Segundo a Lei 9424/96, que criou e regulamentou o Fundef, no mínimo 60% dos recursos devem ser destinados ao pagamento de salário dos educadores do ensino fundamental. Mas em Indiaroba, dos recursos que o município gasta do Fundef com salário estão inclusos uma professora da pré-escola, secretários de escolas, professores que estão em atividades técnicas e até o diretor de esportes e de cultura do município, ou seja, uma prática totalmente proibida por lei.

O SINTESE apurou também que há educadores que estão fora da sala e recebem regência de classe, professores que estão recebendo gratificação, professores que estão exercendo funções comissionadas na esfera estadual e municipal, pessoas que fizeram concurso para a função de serviços gerais estão ministrando aulas, grande quantidade de contratados, pedagogos que estão com carga horária menor que o previsto.

O salário-base dos educadores em Indiaroba é de R$276, atualmente as perdas salariais dos professores estão em 15% e foi esta proposta que a categoria fez ao prefeito João Eduardo Araújo. A justificativa da prefeitura para não dar aumento é um inchaço na folha de pagamento, mas os educadores foram informados que no último dia 05, foi enviado projeto à Câmara de Vereadores que aumenta o salário do prefeito e do vice-prefeito e do secretário geral, que é pai do atual prefeito, em R$11 mil, R$7 mil e R$ 3 mil respectivamente. “È uma incoerência o prefeito dizer que o município não tem dinheiro para aumentar os salários dos educadores, mas tem recursos para aumentar o próprio salário, isso é um desrespeito não só aos educadores, mas a toda população de Indiaroba”, critica Dayse.