Professores realizam assembléia para discutir PROID dia 25

32

Nesta quarta-feira, dia 25, os professores da rede estadual realizam às 15h no Instituto Histórico Geográfico de Sergipe uma assembléia geral. Na próxima quarta-feira, dia 25, às 15h, os professores da rede estadual realizam no Instituto Histórico Geográfico de Sergipe uma assembléia geral. Na pauta discussões e encaminhamentos sobre a suspensão do Programa de Inclusão Digital do Magistério – PROID e questões da pauta de reivindicações que ainda estão pendentes com a Secretaria de Educação – SEED.

Há duas semanas educadores procuraram o SINTESE para saber porquê o PROID tinha sido suspenso. Em um primeiro contato com assessores da SEED a informação foi confirmada, mas sem maiores explicações. Somente essa semana em entrevistas ao programas de rádio e televisão foi que o assessor de Comunicação da SEED, Pedro Rocha, informou que o programa havia sido suspenso para um “ajuste de contas” e “ajustes com a Lei de Responsabilidade Fiscal”.

O que causou estranheza a direção do SINTESE foi a forma com que os professores ficaram sabendo da suspensão do programa. “Os educadores só souberam que o PROID tinha sido suspenso porque foram ao banco se cadastrar ou procuraram alguma das lojas conveniadas. Não houve divulgação sobre a interrupção”, comentou Joel Almeida, presidente do SINTESE. O vice-presidente, Carlos Sérgio Lobão também critica a postura da SEED em não divulgar claramente a suspensão do programa. “Quando foi para implantar e informar aos professores do PROID houve estardalhaço com vários eventos que ocuparam inclusive o Teatro Tobias Barreto, mas num momento importante como esse nada é dito”, alfinetou.

Não há número concreto de quantos professores já foram beneficiados com os computadores. No início da semana o jornalista Cláudio Nunes em sua coluna eletrônica diária divulgou que 4.200 já tinham recebido os computadores e que 3.200 estão na fila. Uma dessas pessoas é a professora Elienai Góes de Faria Barbosa, ela fez a inscrição no PROID em julho, mas após buscar informações no Banese e na própria SEED e foi informada que o programa estava suspenso. “Quando percebi a demora fui procurar informações, no banco me disseram a princípio que ia demorar, mas o computador seria entregue, agora sei que o programa foi suspenso e ficarei sem computador? Tanto eu como outros professores precisam dele para trabalhar”, questiona.

Outra profissional da Educação que está na fila para receber o computador é Marinalva Araújo. Ela conta que na escola onde ela leciona não há computador e que o equipamento iria ajudá-la e muito. “Para elaborar as provas tenho que pagar alguém para digitar. Quando o programa surgiu fiquei esperançosa, pois começaria a fazer as provas em casa ao invés de pagar para alguém digitar, mas agora nem sabemos quando o programa será liberado”, disse.