SINTESE entra com representação no MP contra governo do Estado

42

Os professores decidiram na assembléia geral realizada nesta quarta-feira no Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe que o Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Estado de Sergipe – SINTESE entrará com uma representação no Ministério Público Estadual para que o governo do Estado cumpra o que foi determinado pelo Programa de Inclusão Digital do Magistério – PROID. Os professores decidiram na assembléia geral realizada nesta quarta-feira (25) no Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe que o Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Estado de Sergipe – SINTESE entrará com uma representação no Ministério Público Estadual para que o governo do Estado cumpra o que foi determinado pelo Programa de Inclusão Digital do Magistério – PROID. Junto com a representação o SINTESE vai solicitar do MP uma audiência pública com a participação do sindicato, do governo do Estado (através da Secretaria de Educação) e de representantes das empresas fornecedoras dos microcomputadores para que se possa encontrar uma solução para a continuidade do PROID.

Os professores aprovaram também que na próxima quarta-feira, 01, vão ocupar as galerias da Assembléia Legislativa com o objetivo de fazer com que os deputados estaduais participem da discussão.

O programa foi suspenso a aproximadamente um mês e milhares de professores estão na fila esperando receber o computador que foi prometido durante meses. As primeiras informações de que o PROID tinha sido suspenso chegaram ao SINTESE há mais de três semanas, mas somente nesta quarta-feira que o secretário de Educação atendeu a solicitação de audiência do sindicato para maiores explicações.

Segundo o presidente do SINTESE, Joel Almeida, o secretário de Educação, Lindbergh Lucena, deixou claro que não há dinheiro para prosseguir com o programa este ano. Ele passou ao sindicato os seguintes dados: em 2005 foram repassadas aos professores 1600 máquinas. Em 2006, somente 1530 computadores já foram pagos pela SEED, ou seja, professores receberam e o Estado já pagou aos fornecedores.

Mas ainda há 1800 computadores que vão ser pagos em novembro. O que preocupa o sindicato é que não foi informado se estes computadores já foram repassados aos professores ou se só foram comprados pelas empresas. “A situação é preocupante, pois se estes computadores não foram repassados, menos de 1/3 dos oito mil professores que estão em sala de aula da rede estadual recebeu seu computador”, frisou Joel. Outra preocupação do SINTESE é que o programa não tenha sido utilizado como um mote eleitoreiro.

Gestão democrática
A assembléia decidiu também que na primeira audiência com o governador eleito, Marcelo Déda, o SINTESE apresente como primeira proposta da pauta de reivindicação a implantação da gestão democrática nas escolas. “As escolas da rede estadual precisam ter uma administração mais democrática e isso pode ser alcançado com a eleição direta para diretores das unidades de ensino”, argumentou o presidente do SINTESE. A proposta do sindicato é que seja adotada na rede estadual o modelo de gestão democrática escolar implantada na rede municipal de Aracaju e também no município de Poço Verde.