Situação difícil para jovens na América Latina

31

Os jovens latino-americanos vivem uma difícil situação em relação ao desemprego. Estudo da OIT demons-tra que, apesar do crescimento econômico na região, houve um aumento do desemprego entre jovens nos úl-timos dez anos. Os jovens latino-americanos vivem uma difícil situação em relação ao desemprego. Estudo da OIT demons-tra que, apesar do crescimento econômico na região, houve um aumento do desemprego entre jovens nos úl-timos dez anos. No Brasil, entre 1995 e 2003 o desemprego entre jovens pulou de 11,4% para mais de 19%, bem acima da média mundial. O relatório da OIT destaca que um terço dos latino-americanos entre 15 e 24 anos e que trabalham ganham menos de US$ 2 por dia. Segundo a OIT, a crise entre a juventude que busca trabalho é mundial. De acordo com o informe, o desemprego entre jovens no mundo atinge uma taxa de 13,5%. São 85 milhões de desempregados, alimentando a situação de vulnerabilidade das economias e caos social. A OIT destaca também que essa situação é apenas a ponta de um iceberg: um terço do 1,1 bilhão de jovens no mundo é mal pago, está em busca de trabalho ou já desistiu completamente de encontrar um em-prego. Cerca de 300 milhões de jovens estão abaixo da linha da pobreza, mesmo trabalhando.

Vale corta repasse a indígenas
Uma semana depois da “festa” pela compra da mineradora canaden-se Inco, a Companhia Vale do Rio Doce anunciou que irá deixar de repassar os R$ 9 milhões anuais às comuni-dades Xikrin do Catetê e do Djudjêkô, da região de Carajás (PA). Os indígenas recebem esse repasse há mais de dez anos, quando a empresa começou a utilizar as suas terras para a exploração de minérios. O anúncio do corte dos repasses foi feito em 31 de outubro, pelo diretor-executivo de Assuntos Corporativos, alegando que houve quebra de acordo por parte dos indígenas. Numa tentativa de solucionar o impasse, a Fundação Nacional do Índio convocou uma reunião com representantes da Vale e das comunidades indígenas.

Todo apoio a Emir Sader
Emir Sader foi condenado à perda de seu cargo de professor na Universida-de Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) e a um ano de detenção, em regime aberto, conversível à prestação de serviços à comunidade, pela 11ª Vara Criminal de São Paulo, que julgou um processo de injúria movido pelo senador Jorge Bornhausen (PFL-SC). O juiz considerou injuriosa uma afirmação do sociólogo em que Emir se referiu a uma manifestação pública do senador, feita dois dias antes. Ao ser questionado em um evento com empresários se estava desencantado com a crise política, Bornhausen respondeu com a frase que o imortali-zou: “Desencantado? Pelo contrário. Estou é encantado, porque estaremos livres dessa raça pelos próximos 30 anos”. Para enviar sua solidariedade escreva um e-mail para solidariedadeaemirsader@hotmail.com.

Alca ou Mercosul?
Lula defendeu o Mercosul no seu primeiro pronunciamento após ser reeleito para um segundo mandato e disse que “Hoje ninguém fala mais de Alca, e todo mundo fala do Mercosul”. “Já incluí-mos a Venezuela no Mercosul, o México já quer participar, e nós temos um sonho de fazer com que o Mercosul possa representar (…) todos os países latino-americanos, o que seria uma coisa extraordinária.”

Assentamentos fornecem leite para entidades assistenciais
Os assentamentos da região Andradi-na e Castilho, no interior de São Paulo, abastecem com1.700 litros de leite produzidos diariamente entidades assistenciais da região. A Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) paga aos assentados R$ 0,90 por litro, valor bem acima do que é pago pelos laticínios. A compra do leite dos assentados é resultado do Progra-ma de Aquisição de Alimentos, na modalidade Doação Simultânea, criado no âmbito do Programa Fome Zero. Estão sendo beneficiadas 14 entidades, entre hospitais, creches e associações de moradores.

Resíduos em rio matam um milhão de peixes no RS
Mais de 86 toneladas de peixes mortos. Este foi o resultado do desastre ambiental ocorrido no Rio dos Sinos, na região metropolitana de Porto Alegre (RS) no início de outubro. Foram mais de um milhão de peixes retirados das águas. Segundo o relatório da Fundação de Proteção Ambiental do Rio Grande do Sul (Fepam), as empresas que atuam na região despejam muitos resí-duos poluentes no rio. A grande quantidade de esgotos e a falta de tratamento em 95% deles por parte da Prefeitura também são responsáveis pelo desastre.

Empresa fecha, na Bahia
Os 100 funcionários da Nadvic – fabricante de válvulas industriais no Centro Industrial de Aratu – foram surpreendidos pela inesperada decisão da empresa de fechar as portas. Os traba-lhadores foram demitidos por telegrama! A empresa atravessava uma boa fase e até negociava melhorias no plano de saúde dos seus funcionários. Os sindicalistas não sabem o que ocorreu.

Concentração de terra x alimentos
Mais de 14 milhões de pessoas estavam mal nutridas em 2003 no país. Em 13 anos, saíram somente 4 milhões de pessoas dessa condição. É o que diz o relatório “O estado da insegurança alimentar 2006”, que se refere ao período de 2001-2003, apresentado pela FAO (Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação). A FAO elogiou os programas Fome Zero e Bolsa Famí-lia, mas ressalta que a concentração de terra no Brasil ainda impede o acesso aos alimentos pela população. O país tem alimentos suficientes para alimentar a população, mas o acesso ainda é prejudicado diante da desi-gualdade social e da má distribuição de terras.

A FAO advertiu que a redução da fome no mundo está estagnada. O relatório “O estado da insegurança a-limentar 2006”, que se refere ao período de 2001-2003, revela que 854 milhões de pessoas passam fome de forma crônica no mundo. Dos 854 milhões de famintos que há no mundo, 820 milhões vivem em países em desenvolvimento, 25 milhões são dos países da antiga União Soviética e 9 milhões vivem nas nações mais ri-cas. Desde 1996, o número mantém nos mesmos níveis.

Repressão em Oaxaca
Depois de mais de cinco meses de resistência popular na cidade de Oaxaca, México, o governo resolveu usar a força mais pesada e não titubeou: enviou uma força militar com mais de mil soldados, guardados por 12 tanques de guerra, para reprimir a organização dos trabalhadores e moradores locais. Os professores estão em greve e receberam apoio e adesão de professores das cidades vizinhas e dos estudantes. A população de Oaxaca organiza-se através da APPO (Assembléia Popular do Povo de Oaxaca) que é um encontro de várias categorias profissionais e dos moradores da cidade. Os soldados ocuparam quase toda a cidade, mas os membros da APPO se comunicam e enviam notícias através da Rádio Universidade. Depois de uma semana de violenta repressão, o movimento conta já cinco mortos, dezenas de feridos e 45 membros da APPO detidos. Para notícias: www.asambleapopulardeoaxaca.com/

Assassinato de jornalista
A morte do jornalista Brad Will gerou manifestos de repúdio em todo o mundo. Segundo o Indymedia, Will estava cobrindo o processo de resistência e repressão à APPO, uma coalizão de grupos e movimentos sociais formada após a greve dos professores naquela histórica cidade mexicana. A APPO pede a renúncia do governador do estado de Oaxaca, Ulises Ruiz Ortiz, acusado de corrupção e fraude eleitoral e defende a substituição do governo do estado por assembléias populares.

Greve Geral em 20 de novembro
Organizações sociais e sindicatos mexicanos estão convocando uma Greve Geral no país, em solidariedade ao povo de Oaxaca. Entre outras organizações, o manifesto chamando para a Greve é assinado pelo Exército Zapatista de Libertação Nacional.

Eleições na Nicarágua, hoje
Cinco candidatos disputam a Presidência na Nicarágua, hoje. Daniel Or-tega, da Frente Sandinista de Libertação Nacional, aparece com pequena vantagem nas pesquisas. Dirigidos pela embaixada estadunidense na capital do país, a direita faz campanha contra Ortega tentando assustar a população. Os partidos de direita dizem que a vitória de Ortega afastaria os investidores estrangeiros e coloca-ria em risco a participação do país no Tratado de Livre Comércio da América Central com os EUA. Nas pesquisas mais recentes, o ex-ministro e ex-banqueiro Eduardo Montealegre, candidato de centro-direita, aparece com 23%; e o produtor de café José Rizo, do Partido Liberal Constitucionalista, vem em terceiro lugar, com 14%. De acordo com a lei eleitoral, o vencedor será o candidato que obtiver “uma maioria relativa de pelo menos 40% dos votos válidos ou, tendo obtido um mínimo de 35% e superar o segundo colocado por uma diferença mínima de cinco pontos percentuais”.

Atentado contra sindicato no Uruguai
Na semana passada, a sede da UNTMRA (União dos Trabalha-dores Metalúrgicos e Ramos Afins), no Uruguai, foi incendiada em um ato criminoso. A hipótese de acidente foi descartada pelos bombeiros. Haviam computadores, pinturas, materiais de campanha e uma motocicleta, mas nada foi levado. O que demonstra que a intenção apenas de atingir a sede da UNTMRA.

Um novo sindicato mundial
Uma nova organização de sindicatos mundial, a “Confederação Sindical Internacional (CSI)”, foi fundada na quarta-feira (1/11), em Viena, na Áustria, com o objetivo de “falar com uma só voz” diante dos desafios da globalização. A Confederação Internacional de Organizações Sindicais Livres (CIOSL) se dissolve para se integrar ao novo sindicato, junto à antiga Confederação Mundial do Trabalho (CMT) e outros sindicatos nacionais. A nova “Confederação” representará 309 centrais sindicalistas de 156 países, com um total de 166 milhões de filiados.

UE apoia energia nuclear
A União Européia garantirá o apoio necessário aos Estados-membros que decidirem recorrer à energia nuclear, anunciou esta segunda-feira Durão Barroso, presidente da Comissão eu-ropéia. Barroso afirmou que o “debate sobre a energia nuclear na Europa não deve ser um tabu”, acrescentan-do que a opção de recorrerem ou não à energia nuclear é uma decisão dos países e não da CE. De acordo com o presidente da Comissão, a energia nuclear é um dos quatro pilares da política do executivo comunitário para reduzir as emissões de dióxido de carbono na UE.

Policial voltou a matar
Um dos policiais ingleses que participaram do assassinato do brasileiro Jean Charles de Menezes, em julho de 2005, no metrô de Londres, voltou a matar esta semana. Segundo o jornal britânico ‘Daily Mail’, o agente da Scotland Yard abriu fogo contra um homem que estaria armado e roubando um prédio comercial em Kent. De acordo com o jornal inglês, a cúpula da Scotland Yard convocou reuniões de emergência para contornar a crise, pois alguns integrantes defendem que o agente não deveria estar na linha de frente tão pouco tempo depois da morte do eletricista Jean Charles.

Se fosse uma favela do Brasil…
Mais de 14 mil de armas fornecidas pelos EUA às forças de segurança iraquianas desapareceram e peças de reposição e manuais de conserto não estão disponíveis para muitas ou-tras, afirmou um relatório do Congresso norte-americano. No relatório, elaborado pelo Inspetor Especial para a Reconstrução do Iraque e divulgado no último domingo, é dito que: “Cerca de uma em cada 25 armas que os militares dos EUA levaram para as forças de segurança iraquianas está desaparecida. Muitas outras não podem ser reparadas devido à falta de peças de reposição e de manuais técnicos.” O Pentágono não consegue dar conta de 14.030 armas – 13.180 pistolas semi-automáticas, 751 fuzis de assalto, 99 metralhadoras, além de granadas propelidas por foguetes e outros armamentos – que começou a entregar ao Iraque desde o fim de 2003. Será difícil encontrar as armas desaparecidas: o Pentágono registrou o número de série de apenas umas 10 mil das 370.251 armas que forneceu – menos de 3% do total.

Resistência iraquiana tem comando unificado
O anúncio foi feito no início da semana: está criado o CPURI (Comando Político Unificado Iraquiano). O Comando pretende unificar a base social, política e militar da resistência contra a ocupação estadunidense no país. A direção do Comando é composta por 25 membros (15 que vivem exterior).

Manobrando a “democracia”
Um levantamento feito por jornalistas e pesquisadores pode causar muita polêmica nos EUA, em breve. Em Washington há cerca de 30.000 empresas especializadas em “agir” dentro do Congresso fazendo pressões e influenciando nas decisões políticas. São os conhecidos “lobbies” que agora estão se especializando e transformando em empresas privadas para “atuar sobre os congressistas”.

Uma boa desculpa!
O vice-presidente dos EUA descobriu uma boa desculpa, ainda que esfarrapada, para o crescimento da resistência iraquiana. Segundo declarações que deu aos jornais estadunidenses, o princi-pal propósito da resistência é influir no resultado das eleições parlamentares estadunidenses. Em entrevista transmitida pela cadeia de televisão FOX (como era de se esperar!), Dick Cheney disse que os insurgentes, que ele chama de “terroristas”, pensam em influir no resultado das eleições do dia 7 de novembro.