Prefeitura de Boquim quer reduzir salários dos professores

25

Os professores da rede municipal de Boquim foram surpreendidos na noite da última terça-feira, quando o prefeito Pedro Barbosa apresentou na Câmara de Vereadores projeto de lei que tem como propõe mudanças em artigos no Plano de Carreira e Remuneração do Magistério e também no estatuto. Os professores da rede municipal de Boquim foram surpreendidos na noite da última terça-feira, quando o prefeito Pedro Barbosa apresentou na Câmara de Vereadores projeto de lei que tem como propõe mudanças em artigos no Plano de Carreira e Remuneração do Magistério e também no estatuto. As mudanças têm como conseqüência a redução nos salários dos professores.

O projeto propõe a redução da gratificação por atividade em local de difícil acesso e também nos valores dos vencimentos dos professores dos níveis I, II, III, IV e V. Na prática a lei proposta pela prefeitura quer desestimular a progressão na carreira do educador diminuindo a diferença salarial entre os níveis. Por exemplo, o professor que entrou na rede detendo a graduação e que no decorrer de um determinado período completou uma especialização pela lei atual teria um aumento de aproximadamente 33% no seu salário-base. Pela proposta apresentada pelo executivo esse percentual diminuiria para 10%.

Atualmente os educadores têm uma gratificação de até 30% do salário-base para trabalhar em locais de difícil acesso. A intenção da nova lei apresentada pelo prefeito é abater esse valor para até 15%. O objetivo da gratificação é promover a permanência do educador em locais distantes da sede do município e que é usado pela ampla maioria para custear as despesas com transporte.

De acordo com a prefeitura a justificativa para a redução é que o município já está gastando, de acordo com a média anual, aproximadamente 70% os recursos do Fundef – Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério em salários, mas a lei que criou o Fundef estabelece que no mínimo a ser utilizado para o pagamento da remuneração dos professores é de 60%, ou seja, o município de Boquim não está distante do percentual mínimo exigido por lei. “O magistério de Boquim está estarrecido com a atitude da prefeitura, enquanto lutamos por melhores salários e condições de trabalho, o poder executivo apresenta uma lei que pretende reduzi-los”, comentou o professor e vereador Anderson Magno.