SINTESE realiza ato público dia 28

24

No dia 28, a partir das 9h no calçadão da João Pessoa, próximo a Caixa Econômica Federal, o SINTESE realiza o último ato público do ano mostrando para a sociedade todas as mazelas que a educação sergipana sofreu no atual governo João Alves Filho. No dia 28, a partir das 9h no calçadão da João Pessoa, próximo a Caixa Econômica Federal, o SINTESE realiza o último ato público do ano mostrando para a sociedade todas as mazelas que a educação sergipana sofreu no atual governo João Alves Filho. O SINTESE vai reprovar ações como: pacotes pedagógicos, arrocho salarial, negação dos direitos dos professores, autoritarismo nas escolas, entre outros.

“Estes últimos quatro anos foram os piores para a educação sergipana com adoção de pacotes educacionais que tiram a autonomia do professor, com o falta de estrutura física das escolas, mau gerenciamento da merenda escolar, entre outros. O que vimos foi muita propaganda e pouca política pública de afirmação de uma escola decente para todos”, afirmou Joel Almeida, presidente do SINTESE.

Audiência sobre o PROID será dia 19 de janeiro

Após quase 60 dias de espera a promotoria de Educação marcou a audiência pública sobre o Programa de Inclusão Digital do Magistério – PROID. O promotor Alexsandro Sampaio, da curadoria de Educação acatou o pedido do SINTESE e dia 19 de janeiro a partir das 10h na sede do Ministério Público Estadual a Secretaria de Estado da Educação, SINTESE, Banese e as empresas fornecedoras dos computadores discutem uma solução para o problema.

A promotor também recebeu as denúncias sobre as ameaças que os professores de 1ª a 4ª a fraudarem os diários de classe. Os professores estão sendo ameaçados de perder direitos como: férias, licença prêmio, aposentadoria, entre outros, se não assinarem os diários de classe. De acordo com o promotor o procedimento é abrir um inquérito civil onde as denúncias do SINTESE serão investigadas e a SEED será chamada para dar explicações.