SINTESE lança campanha salarial 2007

24

O ato é para mostrar a população sergipana o que os professores querem para a educação pública estadual. Com o tema “chegou a hora de valorizar o professor, de dar início a uma nova educação” o SINTESE lança nesta quarta-feira, a partir das 7h, no Calçadão da João Pessoa, em Caixa Econômica Federal,no centro de Aracaju, a Campanha Salarial 2007. O ato é para mostrar a população sergipana o que os professores querem para a educação pública estadual. “Vamos mostrar para a população sergipana quais as nossas propostas para melhorar as condições de ensino e trabalho da rede pública estadual”, disse o presidente do SINTEESE, Joel Almeida.

Constam da pauta de reivindicação dezessete pontos que tratam desde a proposta de reajuste salarial de 31% até a melhoria das condições de trabalho aos professores e elaboração do plano estadual de educação. O percentual de reajuste pedido pelo sindicato tem como base as perdas salariais acumuladas pela categoria desde o abril de 1995. O índice de perdas para quem tem nível médio e está em início de carreira e para quem tem nível superior e está em final de carreira varia entre 21,46% e 49,38%. O percentual proposto pelo sindicato não vai suprir todas as perdas salariais, mas vai ser o início do processo de valorização do magistério estadual.

Seguindo exemplo de anos anteriores a pauta apresentada pelo SINTESE não se restringe aos aspectos salariais, a cada ano ela se amplia, até porque várias questões de interesse não só dos educadores, mas do sistema de ensino da rede estadual continuam pendentes. Exemplo disso é a elaboração do Plano Estadual de Educação – PEE que é previsto na legislação educacional, mas que o Estado não cumpre. Sergipe é um dos poucos estados brasileiros que não abriu discussões e debates sobre a elaboração do PEE.

Na primeira reunião realizada no último dia 30, já foram discutidas a questão da gestão democrática, Sistema de Avaliação Periódica de Desempenho – SAPED, pacotes pedagógicos, passivo trabalhista, Plano Estadual de Educação e retorno da automaticidade para progressão funcional, continuidade do Programa de Inclusão Digital do Magistério – PROID.

Gestão Democrática

Um dos pontos da pauta que os educadores esperam que seja implantado neste governo é a gestão democrática nas escolas. O sindicato entende a gestão participativa nas escolas contribui para a formação da cidadania nos alunos e também na comunidade no entorno da escola. O processo de discussão para a regulamentação e implantação da gestão democrática nas escolas foi iniciado em 2002, tendo o sindicato inclusive apresentado uma proposta de lei, mas as negociações não avançaram no governo anterior. Na primeira audiência entre o SINTESE e a Secretaria de Educação, o secretário falou que ainda não tinha analisado a proposta de regulamentação da gestão democrática enviada pelo SINTESE e que só irá discutir o assunto após a definição do reajuste salarial.

Veja também o que já foi publicado sobre:
Campanha Salarial