Professores de SE marcham em defesa da educação

26

Quase cinco mil professores percorreram as ruas do centro de Aracaju participando da Marcha Estadual em Defesa da Educação.

Situação do ensino público foi lembrada na marcha

Quase cinco mil professores percorreram as ruas do centro de Aracaju participando da Marcha Estadual em Defesa da Educação. Com palavras de ordem eles reivindicaram mudança na Educação, piso salarial nacional, implementação da gestão democrática e derrubada no autoritarismo nas escolas das redes estaduais e municipais. Professores de 70 municípios participaram da marcha e trouxeram suas reivindicações. “Os professores estão nas ruas por revisão salarial digna, mudanças efetivas na política pedagógica. Esperamos que essa marcha seja um divisor de águas, pois este governo está se mostrando uma continuidade do anterior”, destacou o presidente do SINTESE.

Os educadores repudiaram os 2,96% como índice de reajuste salarial e a forma como o pagamento do Funaserp será feita. “Esse índice é um desrespeito não só aos professores, mas a todos os servidores públicos de Sergipe, pois não recupera as perdas salariais e nem inicia o processo de valorização da categoria”, enfatizou Carlos Lobão, vice-presidente do SINTESE.


Mais de 5mil professores tomaram conta do centro de Aracaju
fotos: SINTESE

A marcha é o ponto alto do dia de paralisação nacional dos educadores, que por sua vez faz parte da programação da VIII Semana Nacional em Defesa e Promoção da Educação Pública, realizada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação e por seus sindicatos filiados.

Em Brasília aproximadamente 20 mil professores, sendo 90 de Sergipe, participaram da marcha nacional. “Educadores não só de Aracaju, mas de todo Ao longo dos anos temos a participação de educadores não só de Aracaju, mas também de vários municípios sergipanos”, destacou diretor de Comunicação do SINTESE, Roberto Silva.

Seminário
Dias 26 e 27 o sindicato realiza pela primeira vez um amplo debate sobre as áreas e modalidades curriculares das escolas da rede estadual. O seminário “Caminhos e Descaminhos da Organização Curricular das Escolas Estaduais”. Dia 26, os educadores vão estar espalhados em 19 oficinas e no dia 27 se reunirão no Espaço Emes para apresentar os resultados.

O sindicato entende que as políticas educacionais implantadas pelos últimos governos não contribuíram para o desenvolvimento da Educação sergipana, mas sim resultaram em escolas públicas sucateadas e professores desvalorizados. Educação sergipana, mas sim resultaram em escolas públicas sucateadas e professores desvalorizados. Por isso o sindicato pretende promover uma discussão ampla sobre como as disciplinas e modalidades que fazem parte do cotidiano de alunos e professores da rede estadual estão sendo apresentadas em sala de aula.

Buscando sempre uma integração maior com a sociedade o SINTESE tem como parceira do evento a Universidade Federal de Sergipe através da Pró-Reitoria de Extensão e do Colégio de Aplicação. “O SINTESE sempre procura firmar parcerias que ajudem no processo de discussão da Educação sergipana e também de afirmação das instituições públicas como a universidade”, afirma o presidente do SINTESE, Joel Almeida.

Assembléia
No dia 27 logo após apresentação dos resultados das oficinas o sindicato realiza assembléia geral extraordinária que terá como pauta: regimento eleitoral, deliberação sobre currículo, análise e discussão do índice de reajuste salarial anunciado pelo governo e da forma de pagamento do Funaserp.

Veja também o que já foi publicado sobre:
Semana Nacional de Educação
Seminário