Professores paralisam as atividades por três dias e fazem vigília na AL

40

Os professores ocupam as galerias da Assembléia Legislativa para pressionar os deputados estaduais a não votarem os projetos de reajuste salarial e restituição do Funaserp Os educadores da rede estadual decidiram na tarde da terça-feira, 22, em assembléia realizada no Continguiba Esporte Clube paralisar as atividades até a próxima sexta-feira, dia 25. O objetivo da paralisação é persuadir o governo estadual a melhorar a proposta de reajuste salarial e também atender a reivindicação dos servidores com relação ao Funaserp.

Os professores deliberaram também que nesta quarta, 23, vão ocupar as galerias da Assembléia Legislativa para pressionar os deputados a não votarem os projetos de lei sobre o reajuste salarial e a nova forma de restituição do Funaserp. Na manhã do dia 22 os professores ocuparam a sala das comissões para acompanhar a votação dos dois projetos na Comissão de Constituição e Justiça. “O sindicato achou natural que os dois projetos tenham sido votados por unanimidade, mas é no plenário que esperamos que isso mude”, apontou o presidente do SINTESE, Joel Almeida.

Moção de repúdio

Os professores votaram também em assembléia três moções de repúdio. A primeira e a segunda contra dos deputados estaduais Augusto Bezerra (DEM) e Venâncio Fonseca (PP) por desrespeitar o sindicato e o presidente. A terceira moção foi contra os vereadores de Aracaju Rosângela Santana, Magal da Pastoral, Chico Buchinho e Emanuel Nascimento, os quatro do PT por prestar solidariedade ao secretário de Estado da Educação, José Fernandes Lima e não ter ouvido os trabalhadores em Educação.

Veja também o que já foi publicado sobre:
Paralisação
Moção de Repúdio