Professores de Neópolis ocupam a prefeitura

27

Na manhã desta quarta-feira os professores da rede municipal de Neópolis ocuparam o prédio da prefeitura. A ocupação se deu após passeata pelas ruas da cidade… Na manhã desta quarta-feira os professores da rede municipal de Neópolis ocuparam o prédio da prefeitura. A ocupação se deu após passeata pelas ruas da cidade onde os educadores reivindicam o cumprimento do Plano de Carreira do Magistério, transparência no gasto dos recursos da Educação, melhora na estrutura física das escolas e material didático.

A passeata e a ocupação são uma advertência dos professores, segundo o diretor do departamento de Base Municipal, Francisco José dos Santos, se o prefeito não receber os representantes do magistério até a próxima sexta-feira, será feita uma paralisação na segunda, dia 23. “Esses atos são uma tentativa para que o prefeito se sensibilize e receba a categoria. Já solicitamos diversas audiências, mas o prefeito não abre a negociação”, disse o sindicalista. Os educadores já tentaram se reunir com o prefeito José Teixeira Alves Filho, por quatro vezes e as audiências foram desmarcadas sem motivo aparente.

Direitos desrespeitados
O Plano de Carreira de Neópolis prevê que após a sua aprovação seria instalada uma Comissão Permanente de Gestão de Carreira, composta de forma paritária por 03 professores e 03 representantes do executivo municipal para gerir os processos referentes à carreira do servidor do magistério, evitando assim os casos de perseguição política ou de apadrinhamentos.

Apesar da comissão instalada os professores continuam com seus processos de mudança de nível, titulação, gratificação por interiorização, adicional de 1/3 após 25 anos de trabalho e redução da carga horária parados. A argumentação da prefeitura é que os processos precisam do aval do procurador do município. Só que o procurador já participa da comissão, então a alegação da prefeitura não justifica o atraso nas portarias para conceder os direitos.

Revisão salarial
Além desses processos, o governo do município ainda não sinalizou com uma proposta de revisão salarial, prevista no plano de carreira para o dia 1º de maio. Não há uma política educacional no município consistente para resolver os problemas de evasão escolar e repetência, o que tem sido uma preocupação dos educadores municipais.

Transparência
A falta de transparência nos gastos da Educação é outra das denúncias. Os conselhos do Fundeb, merenda e municipal da Educação têm seu funcionamento prejudicado por ações da prefeitura. Por causa disso escolas que participam do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE) estão sem recursos porque não houve prestação de contas ano passado. Devido a irregularidades na prestação de contas em 2006, ano passado o recurso para a merenda escola diminuiu, prejudicando os alunos. As irregularidades impedem também que o município participe de programas e projetos do Ministério da Educação.