SINTESE participa de seminário sobre gestão democrática

26

A luta dos professores nos últimos 20 anos em favor da gestão democrática na rede estadual rende o primeiro passo concreto do governo do estado. Acontece nesta quinta-feira, dia 02, no auditório do Complexo Sesi na avenida Tancredo Neves o I Fórum Estadual sobre Gestão Democrática. A luta dos professores nos últimos 20 anos em favor da gestão democrática na rede estadual rende o primeiro passo concreto do governo do estado. Acontece nesta quinta-feira, dia 02, no auditório do Complexo Sesi na avenida Tancredo Neves o I Fórum Estadual sobre Gestão Democrática. O fórum está sistematizado com a participação de Vítor Henrique Paro e Maria Auxiliadora Monteiro Oliveira que falarão pelo governo do Estado e da professora Liana Torres da Universidade Federal de Sergipe que falará pelo SINTESE.

Essa é a primeira ação para discutir o implemento da gestão democrática depois de instalada a comissão que é formada por: Maria Auxiliadora Almeida e Maria Izabel Ladeira (SEED); Neilton Diniz e Joel Almeida (Sintese), Silvia Isabel Relvas Monteiro de Oliveira e Adalberto Mendes Neto, representantes da direção das escolas; Natanael Leite Júnior e Abi Custódio Divino Filho (USES); e Gilson Florêncio e Gilson da Costa (pais de alunos).

O SINTESE tem uma opinião clara. A gestão democrática não será a salvação de todos os males da Educação Pública, mas é um grande passo na busca de uma escola pública de qualidade social para o Estado de Sergipe. Com o governo do Estado o processo de discussão para a regulamentação e implantação da gestão democrática nas escolas foi iniciado ainda no governo de Albano Franco, o sindicato chegou a apresentar uma proposta de regulamentação que foi ignorada nos anos posteriores. “Entendemos que após nossa luta, resistência e insistência o governo do Estado finalmente vai começar a discutir e entender que a gestão democrática é o melhor para nossas escolas. Esse fórum é fruto direto da luta dos professores de todo o Estado de Sergipe”, disse o presidente do SINTESE, Joel Almeida.

O contrário do executivo estadual, há anos o SINTESE vem discutindo a forma como a gestão democrática poderia ser implantada na rede estadual de ensino. Foram conferências, fóruns, debates e até um congresso estadual dos trabalhadores em Educação (realizado em 2002) que tratou exclusivamente da Gestão Democrática.

De lá para cá o SINTESE tem oferecido aos filiados oficinas para que o magistério estadual e das redes municipais compreendam qual a sistemática da gestão democrática e como ela ajuda na formação da cidadania dos alunos.

O projeto de gestão democrática defendido pelo SINTESE e também pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação envolve:

• A participação de professores, funcionários, especialistas, pais e alunos em colegiados deliberativos;

• Eleição direta para dirigentes educacionais;

• A autonomia pedagógica no desenvolvimento de projetos específicos;

• A representação da comunidade escola e educacional nos órgãos colegiados, Conselho Nacional de Educação, Conselhos Estaduais de Educação, Conselhos Municipais de Educação e Conselho Escolares;

• A eleição dos diretores das escolas públicas, através do voto da comunidade escolar;

• A participação das entidades representativas da comunidade escolar na elaboração de projetos de lei, que regulamentam a gestão democrática do ensino público, garantindo na legislação uma estrutura democrática.