Progressão Vertical não foi encaminhada à AL

36

Governo do Estado de Sergipe não está cumprindo acordo firmado com os professores Na presença do ministro da Educação, Fernando Haddad, no auditório do Hotel Parque dos Coqueiros, em Aracaju, no dia 25 de julho, o governador Marcelo Déda falou a aproximadamente 1500 professores e assinou publicamente o projeto de lei que garante a volta da automaticidade da Progressão Vertical no Plano de Carreira dos professores no Estado de Sergipe. Documento este que deveria ter sido encaminhado diretamente à Assembléia Legislativa, mas, que até agora não aconteceu.

O compromisso do governador foi assumido ainda durante o processo de discussão da Campanha Salarial de 2007 entre SINTESE e Governo, ainda em junho deste ano. Já na ocasião, o sindicato dos professores apresentou minuta à Secretaria do Estado de Educação para ser encaminhada imediatamente à AL, no intuito de assegurar aos professores a justa e merecida mudança de nível, por ser a Progressão Funcional um mecanismo de incentivo à qualificação dos profissionais da Educação.

Vale ressaltar também que o processo de negociação dos salários foi humilhante para a categoria, considerando que 2,96% representou apenas a reposição da inflação do ano anterior, sem que o governo apresentasse nenhuma proposta de recuperação das perdas salariais.

Os professores estudam, se formam, fazem especialização, mestrado e doutorado, contribuem para qualificar o ensino na rede estadual, e se deparam com uma política oficial de negação de direitos. A categoria espera que o projeto de lei seja encaminhado à AL o mais breve possível e, portanto, o SINTESE segue em vigília.