SINTESE 30 anos: UTOPIA PEREGRINA

27

Poema em homenagem aos 30 anos do SINTESE. Parece de sonho o SINTESE, e foi mesmo gestado em sonho que se materializou como todas as coisas grávidas de esperança permanente porque repleta de muita luta solidária, conseqüente, insurgente.

Foi assim, de pelega, clientelista, acuada, alienante, subserviente, individualista, claudicante a “… um gigante, uma máquina de luta … “, de lutadoreS sociais, do povo, socialIsta, que sabe fazer a hora e escrever com irreverêNcia, coleTivamEnte as páginas vivas desta hiStória de singular travEssia.

Seus atores, um coletivo de mais de 23 mil vozeS em 30 anos d’exIstência. Desistência? Jamais! De existência cristalina, fecunda, contagiante por justiça social, com as professoras, os professores ativos e aposeNtados, a direção, coordenadores, represenTantes de base, funcionários, assessores, sócios, colaboradores e simpatizantes em crescente movimEnto, caminhantes que “esperançam” porque lutam e lutam porque na conSciência habita lapidar convicção que o poeta Drummond versejou de corpo inteiro: “As lEis não bastam. Os lírios não nascem das leis. Vamos de mãos dadas”.

Seu palco, o chão da eScola (“espaço de subversão de paradigmas do mercado”), as ruas, praças, avenidas, estradas, becos, camInhadas, marchas, protestos, paralisações, vigílias, atos públicos, estudos, palestras, reuNiões, eventos, seminários, dias, semanas, meses, anos de defesa e promoção da educação pública, o InTervalo, o Forró do SINTESÃO, o CERES, Rede de Comunicadores Populares, o 1º de Maio, A IntErnacional, a CUT, a CNTE, o Dieese, Encontro de Aposentados, o Coral, greves, negociações, paSseatas, discussões, currículo, plenárias, atividades culturais, ações, processos, plantões, assEmbléias, debates, audiências, embates, cursos … a mística …

espaços públicos, manifestações, ocupações, celebrações comemorar os 30 anos do SINTESE, filiações, o desafio, a meta, Oficinas Pedagógicas da Resistência, Conferências, Congressos, encontros, conselhos, eleições … a dialética … Formação.

E a reSistência se fez igual mandacaru deixando marcas indeléveis. E deixará outras tantas, pois todo dia e toda hora debaixo de chuva ou sol eternamente nossa vIda é lutar organicamente para reafirmar a luta permanente por traNsformação social, escola pública de qualidade para as filhas e filhos das Trabalhadoras e trabalhadores da cidade e do campo, elevação da consciência política da categoria, planos de carreira e de Educação, estatutos do magistério, políticas públicas voltadas para a melhoria de vida da população, piso salarial decente nacionalmente unificado, garantia e ampliação de direitos a duras penas conquistados, Sindicalização e valorização dos funcionários da escola, compromisso, solidariedade militante com a luta histórica da classe trabalhadora, “Alegria, muita fé e esperança Na aliança” com outros Movimentos Sociais “Pra fazer Tudo melhor. E será” Reforma Agrária, educação do campo, formação continuada, cuidado com a coisa pública, democratização dos meios de comunicação, respeito à Carta Magna do País, às instituições e à democracia, à unidade e à integração dos povos latino-americanos, financiamento da educação pública vinculado ao PIB, GEstão Democrática já!

São bandeiras muito caras para converter a educação em prática emancipatória que no tecer da consciência leve o POVO a despertar, sair às ruas de mãos dadas caminhar e escrever a própria história outra história de mulheres e homens livres, felizes igualitários. Um outro mundo possível!

Mas tudo passa Os tempos mudam Os governos passarão Bravos companheiros se vão Outros às vezes vão-se embora Muitos ainda encarnam a luta Dos mártires ficam as lições A memória a reverenciar Porém o SINTESE Enraizado na base Propositivo e autônomo Um vasto mundo Multicor, plurissingular, plural Sem dúvida uma grande escola Inclusivo, ético, cutista, Lúcido, sincero, classista Tem muita “légua tirana” a caminhar Na cidade, no litoral, nos tabuleiros costeiros, No agreste e no sertão Há trabalho de amargar “Qui nem jiló” Mas com orgulho e paixão Somos muitos, somos fortes O SINTESE – a nossa bandeira É rebeldia militante E o seu nome é resistência, é união E lutar agora e sempre É sua mais bela missão!

E só assim … Só assim A utopia será!

(Prof. José, agosto de 2007)
Texto em homenagem aos 30 anos do SINTESE