Como participar e organizar o Plebiscito?

26

Você também pode montar um comitê local (no seu bairro, sindicato, condomínio, lugares de grande circulação de pessoas etc.). É simples e ajuda a gerar debates e organizar a população para o Plebiscito Popular.

Não há dificuldade em organizar um plebiscito popular na sua localidade. Para formar um comitê local, organize a população, promova um debate, com a ajuda dos materiais publicados na página da campanha, ou procure as entidades que compõem o Comitê estaudal para obter o material.

Você pode formar até mesmo uma urna móvel, circulando de carro e coletando votos em lugares de grande circulação de pessoas.

O Comitê Estadual pode fornecer o material de votação. Porém, basicamente, você necessita de uma urna, cédula de votação e lista de votação, para anotar o nome e RG de todos aqueles que participam da votação (Veja maiores orientações no site, na parte Cédula e Materiais do Plebiscito).

Materiais da campanha, como cartilhas e DVDs, também podem ser obtidos com a Secretaria Operativa da Campanha, pelo contato: (11) 3105-9702, ou pelo e-mail avaleenossa@yahoo.com.br Este endereço de e-mail está protegido contra spam bots, pelo que o Javascript terá de estar activado para poder visualizar o endereço de email .

Porém, lembramos que cada comitê, cada grupo de pessoas que organiza o plebiscito, tem total liberdade para:

1. Organizar o debate e produzir seus próprios materiais, a partir do conteúdo que foi disponibilizado na página.
2. Reproduzir cartilha, jornais e cartazes publicados na página.
3. Entrar em contato com as organizações que participam da campanha e que certamente possuem os materiais da campanha (cópia da cartilha, do vídeo da campanha, panfletos etc.).

O impormate mesmo é participar , no período de 1º a 9 de setembro, para que a população brasileira possa se manifestar sobre: a anulação do leilão da venda da Vale do Rio Doce; a questão da energia (pela qual as famílias brasileiras pagam oito vezes mais caro do que as empresas); o não pagamento das dívidas externa e interna que inviabilizam investimentos sociais mais sérios; e a proposta de Reforma da Previdência, que retiraria vários direitos adquiridos.

Em Sergipe os representantes de entidades, organizações e movimentos sociais de todo o Estado definiu pela inclusão na consulta à população o tema sobre a transposição do rio São Francisco.

As perguntas terão a alternativa para resposta o SIM ou o NÃO. Veja as perguntas:

1. EM 1997, A COMPANHIA VALE DO RIO DOCE – PATRIMÔNIO CONSTRUÍDO PELO POVO BRASILEIRO – FOI FRAUDULENTAMENTE PRIVATIZADA, AÇÃO QUE O GOVERNO E O PODER JUDICIÁRIO PODEM ANULAR. A VALE DEVE CONTINUAR NAS MÃOS DO CAPITAL PRIVADO?

2. O GOVERNO DEVE CONTINUAR PRIORIZANDO O PAGAMENTO DOS JUROS DA DÍVIDA EXTERNA E INTERNA, EM VEZ DE INVESTIR NA MELHORIA DAS CONDIÇÕES DE VIDA E TRABALHO DO POVO BRASILEIRO?

3. VOCÊ CONCORDA QUE A ENERGIA ELÉTRICA CONTINUE SENDO EXPLORADA PELO CAPITAL PRIVADO, COM O POVO PAGANDO ATÉ 8 VEZES MAIS QUE AS GRANDES EMPRESAS?

4. VOCÊ CONCORDA COM UMA REFORMA DA PREVIDÊNCIA QUE RETIRE DIREITOS DOS TRABALHADORES/AS?

5. VOCÊ CONCORDA COM A TRANSPOSIÇÃO DAS ÁGUAS DO RIO SÃO FRANCISCO?

Com o a realização do plebiscito os organizadores, cobramoa a regulamentação do artigo 14 da Constituição Federal, que trata de plebiscitos e referendos. Cobramos ainda o controle social sobre as políticas públicas